Isto é o que eu mais amo

É nele que Nero executa a sua louca música enquanto põe fogo na floresta que representa o maior pulmão verde do planeta e tem a mais rica diversidade ecológica da Terra. I love you = Eu te amo Eu te amo (formal) Eu amo você (semi-formal) Te amo / Amo você (informal)eu amo você Eu amo você, mas é mais usual “eu te amo”. Eu amo o Brasil!? Com uma recepção calorosa dessas, Penélope Cruz recebeu Gente em Milão, na Itália, onde seria a estrela da festa de lançamento do Calendário Campari 2013, na noite da ... jesus eu te amo! obrigado por estar presente em minha vida desde sempre! agradeÇo por ter fortalecido minha fÉ e aumentado minha crenÇa de que o amor verdadeiro É tudo o que precisamos para viver em paz! eu leio a bÍblia. eu creio na palavra de deus. eu sigo a cristo. eu sou feliz porque amo e sou amada! 형식적인= Eu te amo 또는 eu amo você 그러나 말하는 것이 더 일반적입니다 eu te amo. ... Como é que se diz isto em Português (Brasil)? ... Definir o Nível de Língua ajuda os outros usuários a lhe enviar respostas mais completas e de fácil compreensão. Eyshila - O Deus Que Eu Amo (Letra e música para ouvir) - Deus que nunca viu outro igual a si / Deus que se inclina só pra me ouvir / Deus que nunca viu um problema impossível / Esse é O Deus que eu amo / Deus Eu sei lá o que é isto que sinto, mas ao seu lado meu coração bate diferente e nem sei bem como me comportar. ... Explicar o porquê que te amo, eu não sei dizer, mas a sensação que sinto quando estou ao seu lado, isso eu espero que faça parte da minha vida enquanto eu viver. ... Mensagens Mais Vistas Mensagens Mais Recentes Depoimentos ...

Como me tornei de um patinho feio para um cisne glorioso

2020.09.18 15:52 Yanuda543 Como me tornei de um patinho feio para um cisne glorioso

Eu sempre me achei feio. Usava óculos de Harry Potter, sou moreno e me achava inferior pelas pessoas "brancas" serem muito esbeltas (é o q a sociedade prega), na adolescência fiquei cheio de espinha e acne, tinha as costas curvadas, era extremamente magro, tinha cabelo meio crespo / ondulado e meu rosto era todo desequilibrado.
Na escola eu era zoado direto por ser tão feio. Minha única vantagem foi sempre ser muito alto (tenho 1,92m), mas mesmo assim era curvado e feio. Sentia inveja das pessoas brancas por terem uma pele tão reluzente, olhos claros e cabelo liso. Me achava um merda total e tinha 0 de auto estima, não conseguia nem tirar foto nem me olhar diretamente no espelho. Eu já tinha aceitado que nunca seria bonito e nunca nenhuma garota se tinha se interessado por mim.
Mas tudo mudou há 3 anos. A partir dos 19 anos a estrutura do meu rosto mudou completamente, naturalmente. Até as pessoas que me conheciam perguntaram o que eu tinha feito, qdo não fiz nada. Aos 20 comecei a ganhar corpo e entrei na academia. Como comecei a trabalhar e ganhar dinheiro comecei comprando produtos para o cabelo e para a pele e a vestir roupas melhores e mais bonitas.
Resultado? Hoje eu sou considerado pelos outros como "galã". Sou muito alto, tenho corpo fitness, meu rosto é quase perfeitamente simétrico, meus produtos de cabelo realçam meu cabelo ondulado e eu AMO a cor da minha pele, não troco por NADA. Várias garotas (e mais ainda homens) começaram me notando e flertando comigo, tem até uma professora da academia que perguntou minha idade e disse que eu era muito bonito (ela é casada '-' ).
Minha auto estima passou de 0% para 100%. Eu era um patinho feio e me tornei num cisne glorioso. Isso afetou tanto a minha psicologia que notei que desenvolvi alguns defeitos por causa disso. Antes eu era extremamente humilde e não gostava de confrontar ninguém, hoje eu me tornei um bocado arrogante, egoísta e conflituoso. Agora que melhorei minha aparência "física" tenho de voltar a trabalhar minha aparência "interior", pq eu sei que beleza física desgasta e desaparece com idade, beleza interior não.
Mas tudo isto para mostrar que as vezes os patinhos feios se tornam nos mais esbeltos. Meus ex colegas do ensino médio me falam que hoje eu sou mais bonito do que os caras 'populares' e bonitos da nossa época. Por isso não desista e não perca a esperança, você pode se achar feio e um lixo, mas um dia a vida irá enaltece lo e dar lhe aquilo que você sempre desejou.
submitted by Yanuda543 to desabafos [link] [comments]


2020.09.17 03:50 sableyeet Como fui parar na diretoria por causa de um bambu.

Olá Lubinha, editores, possível convidado, gatas, papelões, senhoras, senhores, moços, moças e moçes!!! Essa é uma história meio merda de uma treta minha, espero q gostem.
Era o sexto ano, eu era nova na escola (primeiro ano que estudava nela), não tinha amigos e sofria um pouco de bullying. As meninas normalmente implicavam com a minha altura, tenho 14 anos agora e quase 1,80 então sou bem alta pra minha idade, e com o meu peso.
Nunca fui muito confiante comigo mesma já que também sofri bullying extremo na minha antiga eacola (com direito a ganhar a votação sobre pessoas mais odiada e não encostarem em um lugar q eu toquei). Enfim, eu tinha colocado na cabeça de que aquele ano seria perfeito, já que estava em uma escola nova e iniciando uma era nova na minha vida.
Eu acabei ficando próxima de uma menina, pra não expor ela vamos chama-la de Mads.
A Mads era muito legal, parecia ser a amiga perfeita pra mim mas algumas coisas começaram a acontecer, como eu mencionei antes, eu sou meio gorda, isso era um problema enorme pra Mads. Ela chegou a falar pra mim pra comer e enfiar o dedo na goela pra emagrecer (nunca fiz) e que pra eu ser aceita, eu teria q ficar com um dos garotos "populares" (hoje me descobri lésbica KKKK).
Eu não entendia o por que dela agir assim, pra mim, os amigos deveriam me amar do jeito que eu era. Ela só queria o melhor para mim, certo? Não seria tão ruim...
O tempo passou e ela se afastou de mim, eu lanchava todo dia sozinha já que não tinha amigos. Tentava fazer a Mads voltar a falar comigo mas nada nunca funcionava.
Nós tínhamos uma professora de música que fazia trabalhos muito estranhos, como colher e bambu. O nosso trabalho era fazer uma sequência de batimentos com o bambu, enquanto estávamos na quadra esperando a professora arrumar, cada um segurava um bambu enorme e pesado, o meu estava meio inclinado (GUARDE ISSO).
A Mads começou a encher meu saco, e eu nem sequer piscava o olho, só ignorava ela. Até ela falar algo que eu não me lembro agora e eu virar com tudo pra mandar ela calar a boca e...
POW
Advinha, eu acabei batendo (SEM QUERER) o bambu nela...
Ela começou a chorar falando que eu fiz por querer e a professora nos botou pra fora, esperamos o coordenador (que eu amo) vir e ele nos levou pra conversar.
Na sala dele, ela começou a me acusar falando que eu era horrível e que eu bati nela e bla bla bla. Como eu não sou boba nem nada, virei e falei:
O coordenador arregalou o olho e virou pra ela, falando o que decepcionado estava por ela ter feito uma coisa assim, por que eu era tranquila e uma pessoa boa.
KKKKKK enfim, quem levou mais bronca foi ela e eu fiquei de boas vendo ela sofrer.
Ela acabou saindo da escola ano seguinte mas voltou no nono, tentou agir toda minha amiga mas depois parou, acho que por que eu era meio fria com ela.
E o coordenador continua trabalhando na escola e toda vez que me vê, me abraça. Amo esse homem.
É isto, espero que tenha gostado <3
submitted by sableyeet to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.31 18:59 flakeeight Não consigo comer tão saudável quanto antes por conta do meu namorado

É isto. Eu nunca tive uma alimentação 100% maravilhosa, mas eu pesava uns 5kg a menos antes de morarmos juntos. Fato é que eu amo um doce, amo uma comidinha legal, eu amo comer! Mas eu to tentando voltar pro peso onde me sinto melhor e acho que pra ele não significa muita coisa. SIM, ELE SABE DISSO! Mas quase todo dia depois do almoço ou no final da tarde vem a frase "queria um doce", ou "ai, mas eu não como isso todo dia" e eu fico puta e preocupada com a saúde dele, mas é um cara de mais de 30 anos, não um bebê.
Hoje eu vou pedir uns doces mais "fit", brigadeiro vegano e coisas quem muito açúcar. Ele fica claramente chateado se eu me recuso comer algo mais gorduroso com ele, acho que ele precisa de um cúmplice nisso pra se sentir menos culpado, talvez? Não sei. Só sei que várias vezes eu comi o mesmo que ele pra não me sentir culpada de alguma forma. Eu levei ele pra uma vida mais saudável, academia e tals e em 1 ano ele perdeu mais de 25kg (porque ele queria se sentir melhor), mas agora EU preciso focar um pouco mais nisso. :( Sei lá...Talvez me falte foco e talvez falte um cadinho de compreensão da parte dele, visto que comida é algo que importa > MUITO < pra ele.
submitted by flakeeight to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 22:58 Appropriate_Cobbler1 Rascunho

Casamento
'Apenas, só apenas, queria poder ficar com alguém cuja ao indivíduo não sofresse muito dano popular, vindo do povo a qual foi herdado por mim de meu pai brigadeiro.
Agora! Me vejo aqui, lutando contra lordes e reis de distantes reinos tentando roubar meu bem mais precioso a qual é, minha doce e querida rainha gueixa: Enquanto, eu. O rei negro, intitulo rei macaco. Luta! Luta! contra um monte de palhaços com facas desejando um vacilo meu para que possam ter a oportunidade para me degolar e arrancar minha cabeça.
Todos a desejam como a desejo.
Todos pensam que a amam, mas não amam... como eu a amo.
Porém nunca! saberão do real sentimento de carinho dela direcionado a mim. De mim para ela também. De fato. Eu procuro alegrar seu dias com minhas palavras abobalhadas de verdades.
Eu!? Agora estou tentando fazer ela feliz e especial. Oh! doce gueixa de vestido de grou dourado. dourado como seu semblante.
Então calem a boca! Povo maldito a qual direciona seu ódio pra mim por ter ela.
Eu sei do ódio de vocês. E sei, que o meu ódio que sinto por vocês é considerado amor. Sei também que vocês me julgam por está corrompendo ela, mais na real é ela que está me corrompendo no bom dos sentidos.
Eu sempre me vejo tímido perto dela, não de nervoso e sim de nervoso por sentir algo por ela de verdade.
É considerado amor esses sentimentos? Perdidos pelo tempo?
Ela teve o mesmo problema de abandonar estes sentimentos, eu sei. Agora! nesse exato momento, estamos reaprendendo juntos qual é o sentido do amor a qual foi perdido e amargurado pelo tempo.
Agora sei que está doce como bolinhos chineses feitos por coelhos na lua.
Tão fofo e açucarados estão agora. Os nossos sentimentos.
1
2
3
Piscadelas acordo! E já vejo um súdito falando...
Mucacolol! Mucacolol!
Olhando com cara de duvida.
Mucacolol: Fale! Logo seu verme!
Desculpa! Oh! Rei! Estou aqui, eu, para divulgar que os palhaços passaram da fronteira e até o breve momento, seu casamento vai ter que ser adiado.
Mucacolol: De novo esses palhaços nerdolas...
Mucacolol: Tentarei resolver agora isto e voltarei a tempo para iniciar o casamento.
Se levantando do seu trono e indo em direção ao quarto da rainha apareceu o Boboninja.
Boboninja: REI! REI!
Boboninja: Rei Mucacolol o que fazeis por aqui tão cedo?
Mucacolol: Estou aqui para vê a rainha mayumilol.
Boboninja achando graça sem parar...
Hi! Hi! Hi! Hi!
Mucacolol: ????
Boboninja: Você sabe que ve-la agora de vestido de casamento vai trazer infortúnio
Boboninja: Estais a dispostos a arriscar? Hi! Hi! Hi!
Mucacolol deu meia volta e preferiu não trazer infortúnio para os dois. E seguiu andando em direção a saida com o Boboninja.
Mucacolol: Vamos resolver esse problema rápido, odeio ficar muito tempo fora e distante dela.
Boboninja: Nem parece mas o mucacolol de sempre shAUHSshau
submitted by Appropriate_Cobbler1 to jumayumin [link] [comments]


2020.08.15 02:03 Chuchuzinhu38 A invasão na escola

Olá turma (que estão lendo e que estão vendo esse vídeo maravilindo), editores, gatas, Lubinha, papelões mortos e vivos e o espírito da minha paralisia do sono :)
sou nordestino :3
Hoje vou contar uma história mais bizarra e desnecessária que já rolou na minha antiga escola.
Quando eu estava no oitavo ano eu e meu grupinho de amigos decidimos criar um projeto para uma feira da escola que acontece uma vez por ano. Minha amiga Raíssa (vou falar o nome real dela mesmo porque eu sei que ela iria adorar aparecer no vídeo, te amo demônia ;) ) decidiu que o temo nosso projeto seria sobre Cosplays e pra seguir com o tema decidimos fazer cospobres para entrar na onda. Raíssa foi de L do Death Note e eu fui de Luffy de One Piece, e eu me esqueci dos cospobres dos outros membros do grupo. Pra resumir, fomos até que bem e ganhamos uma boa nota no final :)

Quando a feira acabou eu decidi ir embora mais cedo então eu liguei pra minha mãe e fui embora pra casa. No dia seguinte quando eu cheguei na escola tinha dois policiais no portão da escola e eu logo estranhei e minha mãe pediu pra que quando o sinal batesse eu ligasse pra ela pra eu contar o que tinha acontecido. Quando eu cheguei no meu grupinho eles falaram "cara, tu não vai acreditar no que aconteceu" aí eu curioso como eu sou eu perguntei o que tinha rolado

Basicamente um tempo depois de eu ter ido embora uma menina juntos de uns caras invadiram a escola a procura de uma outra garota, os caras estavam segurando um pedaço de madeira e um deles tinha uma pexera (vulgo facão de cortar peixe, as vezes usado pra cortar mato também) e a menina estava segurando um pedaço de vidro. Os professores mandaram todos os alunos irem pras salas e foi um alvoroço bem grande enquanto a "gangue" estava a procura da tal menina. a polícia foi acionada e a "gangue" foi presa. Quando acharam a tal sujeita, perguntaram o motivo disso tudo.

Eis aqui o tal motivo: Pelo que eu entendi, a guria da "gangue" (que vou chamar de Carls) tinha terminado com um cara (que vou chamar de Ken) e a menina da escola (que vou chamar de Rainara) começou a namorar o Ken, Carls foi tirar satisfação com Rainara via site azul (face) por ela estar namorando o Ken sendo que Carls e muito melhor e os caralho a quatro, e as duas começaram a tretar até que Carls disse que se ela não terminar com Ken ela iria até a escola para forçar isso e Rainara desafiou Carls, e resto vocês já sabem
Isso foi o assunto mais comentado da escola e Rainara levou uma suspensão por envolver a escola nisso
Quando eu contei pra minha mãe ela ficou surpresa e ainda disse "ainda bem que você saiu mais cedo"
Eu fiquei meio aliviado por ter saído mais cedo e fiquei preocupado com meus amigos que ainda estavam lá, mas por sorte nenhum deles se machucou

Enfim foi isto Lubisco e Turmitcha, essa foi a minha primeira turma feira (caso eu apareça)
Abraços Ɛ>
submitted by Chuchuzinhu38 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.12 00:59 Buddy_Appropriate Portanto... Vamos ficar calados quanto ao acordo ortográfico?

Desculpem, mas é algo que me continua a chatear.
Então, uma língua que existe desde o século IX (que haja registo), é simplesmente atropelada por um governo eleito por 4 anos, sem qualquer consulta à população que, se bem me lembro, era activamente contra.
Não me interpretem mal; não pretendo argumentar que a língua portuguesa ficasse estática nem nego que tenha sofrido profundas metamorfoses ao longo dos séculos. Também não pretendo fazer uma apologia nacionalista -- para que conste, sou um fervoroso federalista europeu. E quem conhece mais ou menos bem a Europa, quem teve oportunidade de ver e viver a sua riqueza cultural e histórica, não pode deixar de se sentir triste por Portugal. Simplesmente acho que, se a língua tiver que mudar, deve mudar naturalmente, ou pelo menos de forma ponderada (através de estudos literários, etnográficos, etc, conduzidos por várias instituições académicas independentes, ao longo de longos períodos de tempo). "Ah, mas existem mais pessoas que falam português não europeu." Tudo bem, mas nós falamos português europeu. Até se podia chamar bacalhês, e os não europeus que ficassem com o português.
Acho que o governo pisou um linha vermelha quando se atreveu a mudar a nossa ortografia. E acho perturbante a serenidade com que as pessoas o parecem aceitar. Porque nós habitamos uma língua, antes de habitarmos um lugar no mundo. Quem passa ou já passou bastante tempo fora de Portugal sabe bem disso; sabe que tem um peso diferente dizer "Eu amo-te" invés de "I love you" ou "je t'aime", ou "tenho saudades tuas". O novo acordo ortográfico não é mau por ser uma afronta a algum sentimento nacionalista ou patriótico, nem tampouco por ser pouco estético. É por ser um ataque implícito à liberdade de consciência.
Enfim, já estou preparado para ser chamado mesquinho. Os portugueses ainda têm muita falta de individualismo saudável. Ainda se fala que o Estado é o povo. Mas não percebem que os Estados vão e vêm, que os regimes nascem e morrem. Que mesmo que proíbam o bacalhau e a sardinha, o futebol e o fado e o Sto. António; mesmo que por força tirânica o tempo apague estes hábitos, nunca conseguiram apagar uma língua. Duvidam? Perguntem aos países do Leste Europeu.
Já agora, quantos de vocês continuam obstinados como eu? Quantos continuam revoltados?

EDIT: Há muita gente que parece que comenta sem ter lido o post.
  1. Não estou a dizer que esta ou aquela forma de escrever é melhor ou pior. Estou a dizer que um governo se atreveu a cagar na liberdade de consciência do povo que representa, simplesmente para beneficiar certos interesses económicos (privados!!). Existem povos, aqui na Europa, que fizeram guerras e revoluções por isto, e hoje pintam-no na sua "bandeira".
  2. O povo é sereno, e sem identidade. Pau-mandado da Igreja e do Reino Unido, este país sempre lhe faltou algum brio. Agora parece ter vindo a ganhar um gostinho por cuckholdry.
Espero que tenha ficado esclarecida a essência do meu argumento. :)
submitted by Buddy_Appropriate to portugal [link] [comments]


2020.07.25 19:13 Drunk_Pierre Queria ter dito isso à ela, porém não disse e agora vivo culpado.

"Eu sei que tem sido dias difíceis pra gente, mas eu amo você, com todas nossas limitações, eu amo você por completo, sei dos seus problemas e como a gente tem lutado todo dia contra eles. Mas às vezes é cansativo, eu me sinto vulnerável também, são problemas pequenos, porém me afetam, me afetam porque eu acabo escondendo eles de você, e eu não quero te deixar preocupada, mais do que você já está pelos seus problemas. Me desculpa, eu entendo você estar chateada comigo, gostaria de ter feito mais pela gente essa semana, mas eu estive ocupado cuidando de mim também, as coisas não estão legais na faculdade e eu tenho vomitado quase todos os dias. Eu queria ter falado isso, mas parece tão minúsculo diante dos seus problemas com seus pais. Eu sempre estou pensando em você e na gente junto. Essas limitações são um saco, não ter tempo de te ver dói, mas não é culpa minha, muito menos sua. Quando vc me mandou aquela foto, eu chorei junto, porque me dói não conseguir tempo pra gente, não posso simplesmente abandonar meu trabalho, porque meus planos pro futuro também envolvem você. Me desculpa, eu amo você, tipo muito mesmo."
Queria ter dito isso quando minha ex me pediu pra terminar, mas eu travei, ver ela chorando e dizendo que só amor não era suficiente fez eu paralisar. Passou algumas semanas e eu pensei em tentar explicar meu lado, mas minha condição de saúde só piorou e eu não tive emocional para falar com ela novamente. Ainda guardo essa culpa, às vezes tenho uns flashbacks da gente junto e isso só piora minha ansiedade. Eu vou ficar bem btw. Só queria desabafar a culpa de ter deixado o amor da minha vida ir embora. É isto, a comunicação é essencial em uma relacionamento, conversem com seus parceiros. Obrigado por ler até aqui.
submitted by Drunk_Pierre to desabafos [link] [comments]


2020.07.22 02:21 Adorable-Ebb1410 "Meu filho só foi uma vez" 😡

Olá Luba, turma, editor, gatinhas, olá todo mundo kkkkkk bom, eu criei esse reddit só pra falar dessa história que eu lembrei aqui aleatoriamente. Por favor, me chame de xuxu, não consegui mudar meu nome de usuário :( De 2017 até esse começo de 2020 eu trabalhei em um buffet infantil, ou seja, um lugar onde se realizava festas mais pra crianças, então tinham muitos pais que queriam que seu filho fosse o privilegiado dali. Como eu trabalhava na monitoria, eu tinha bastante contato com as crianças, e EU amo isso de vdd, tentava ser o mais justa e atenciosa possível com eles. Depois do parabéns a gente sempre abria o arvorismo né, uma trilhazinha de tronco que depois você voltava numa tirolesa. Como era depois do parabéns, tinha tipo, 1 hora de tirolesa até a festa acabar, então geralmente as crianças iam uma ou duas vezes e depois a gente desligava tudo. Como era eu quem colocava os cintos, eu via perfeitamente a cara e a roupa de cada um e fazia o controle de quantas vezes eles iam, pra não repetir mais do que o horário permitia. Eu também falava pra geral "ó só uma/duas vezes ok?", explicava tudo 10/10. Então, nesse dia, TODOS só foram uma vez. Quando eu estava pedindo pra última criança subir, me veio uma mulher perguntando quantas vezes era permitido. Isso é comum, porque as crianças querem ir mais e ver se os pais podem fazer alguma coisa por elas, mas a maioria deles entende ou, no máximo, fica com uma cara de bunda. Eu falei tudinho, expliquei pra ela até a questão do horário, mas ela só ficou mais brava ??????? Tipo, amiga??? k k k Ela falou: "Tá, mas por que eu vi crianças indo mais de uma vez?" "Moça, ninguém foi de novo, porque só pode uma vez" "Mentira, porque lá de cima" (a parte das mesas/do salão e dos brinquedos eram divididos por um vidro pra ajudar eles a verem as crianças) "eu vi todas as crianças maiores indo duas, três vezes, menos o meu filho, ele só foi uma vez!!" "Moça, eu prometo, eu juro pra você que NINGUÉM foi mais de uma vez, eu coloquei o cinto em cada um deles, eu vi a cara de cada um deles, NINGUÉM foi mais de uma vez" "MENTIRA" e ela continuou falando e eu tipo "mas moça..." até uma hora que ela quis falar com o "meu gerente". Eu mostrei quem tava de gerente de festa no dia e alertei: "mas ele vai falar a mesma coisa que eu" "É? Vamos ver então" Vi ela falando com ele lá dos brinquedos e ri porque ela saiu brava kkkkkkk como eu disse, ele falou a mesma coisa que eu tinha dito kkkkkkkkkkk E ele nem falou comigo depois porque eu não tinha feito nada de errado, mas eu fiz questão de falar dela e falar o quanto que aquela mulher tava me tirando de louca 😗✌️ Eh isto Luba, não sei se foi muito longo ou se acabou não sendo tão interessante, mas vai que gera um conteúdo aí né kkkkkkk
submitted by Adorable-Ebb1410 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.15 03:48 GustAOKEI Oiee, esta história acontece cmg e acreditem ou não, ela eh real.. por favor, se tiverem um tempinho, leiam e me digam oq fazer..

Ent lubinha e turma que está a ler, vou contar a minha história de vida p vcs hj, ela eh MTO longa ent já estejam avisados. Comecemos pela escola, antigamente eu era mto burro e não sabia muito bem como mudar isso, comecei a ficar nerd do nada e não sei como, não lembro lol. Eu era muito magro e feio mas ok, sofria muito bullyng sobre ser gay e etc, e nunca revidava pq não sabia como, então sempre sofri calado (detalhe que um dia o cara que me fazia bullyng na 1° escola dessa história chegou em mim por trás e me apertou, quase literalmente quebrou uma costela, senti muita dor pelo resto do dia). Não fazia muitos amigos, eu era calado e timido e nunca tive uma amizade por mais de 5 anos. Mudei de escola e outro cara começou a fazer bullyng comigo, eram dois agora, mas era menos pior do que o antigo. Comecei uma amizade muito boa no 7° ano, nem sabia direito mas ele iria ser meu melhor amigo até hoje. Começamos a virar muito amigos e muito próximos e junto a ele, fiz várias outras amizades muito boas também. Há uns 2 ou 3 anos atrás, fiz uma coisa muito ruim, pecado e até crime lol, não gosto nem de recordar mas sofri muito com isso e foi meio que o início da minha depressão (tem 2 anos que eu a tenho). Esqueci deste acontecimento um pouco, comecei a relembrar ano passado somente, e foi o mesmo ano em que eu descobri sobre meu tio, com câncer... Isto me fez ficar bem mais pior e chorava toda hora que pensava nele. Ano passado foi o top dos acontecimentos.. no começo do ano, duas amigas minha que estavam no meu grupinho de amigos se afastaram de nós por qualquer mootivo que eu não lembro, mas elas voltaram de novo no meio do ano, também foi quando eu comecei a me cor....(não sei se posso colocar isso aqui, meu primeiro post nesse reddit). Ano passado também descobri que era bi (descobri mais ainda que sou gay agora lol) e tive a primeira decepção hétero amoroso, meu melhor amigo, que eu também comecei a ter inveja do quão ele era legal em relação ao lixo que eu era, apenas gostava de vôlei e era muito amigo das meninas, então sempre fui excluído e passado para trás pelos meninos. Eu não gostava de ter inveja dele por que ele era meu melhor amigo, não queria sentir isso dele. No começo da quarentena deste ano, as duas amigas mencionadas atrás saíram de perto denovo mas por minha culpa (vou chamar a chefe de melina e a pau mandado de moça). Desabafei com a melina em um dia de tristeza sobre o acontecimento pecado que eu tinha feito, ela me apoiou e etc. No dia seguinte acordo com mensagens dizendo que ela não queria mais falar comigo e que ia puxar a moça junto pois sentiu nojo de mim, oq eu não a culpo pois eu mereço pior que isso. Meus amigos ficaram do meu lado e contra ela. Minha família inteira com excessão de 1 ou 2 membros são homofóbicos, sem contar que eu sou o único com sexualidade diferente de hétero, não me assumi ainda mas tenho muito medo, eles já disseram coisas muito e extremamente homofóbicas e desconfiam de mim pois alguns sabem do pecado cometido, já que ele foi homossexualmente cometido (n tá certo isso não eu acho). Enfim, meus pais em específico me trancam demais, normalmente não me deixam sair especialmente só com meninas e restritam meu dinheiro quando quero gastar com coisas que eles não gostam (cabelo, jogo, etc). Mas ano passado, um menino (jorge o nome fictício) começou a gostar de mim, não o quis e ele saiu de perto de mim por um tempo, mas nesse ano, ele estava na minha sala e começou a aproximar denovo (eramos o jorge e a plínia, fictício, trio da história tbm). Ultima vez que vi o jorge, eu o beijei pois tebtei ver se podia sentir algo por ele, mas fui claro que não sabia se podíamos ter algo. Eles me deixaram de lado pois começaram a sair muito, sem me chamar nem nada. Descobri por último que ele me achava falso por um ponto da história lá, e puxou a plínia junto, fazendo exatamente como a melina e a moça. Enfim, a plínia pelo menos ainda conversa comigo, raramente mas conversa. Não sei se ela ainda me considera mas se sim, a aceito. Ultimamente nada me faz feliz, sou triste 100% do dia, não penso em nada além do suic.. e estou prestes a cometê-lo, infelizmente. Mas enfim lubixco, te amo muito e seus vídeos me fazem muito feliz, mesmo que temporariamente, te amo muito.
Tenho 15 anos, sou gay, sou de MG e não peço nada a vocês. Mas se não acreditarem na história, por favor, não me enviem hate, não quero atenção do luba em específico, mas juro pela minha vida e por Deus legítmamente, que esta história é real...
submitted by GustAOKEI to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.12 05:45 to_nem_ai Amizade tóxica

Olá Luba, turma que está a ver (se estiver), gatas, editores e papeloes que sobreviveram. Eu sou de Portugal então se não entenderem alguma coisa que eu digo desculpem. Eu não sei se é mesmo uma história mas eu estou a usar isto mais como uma forma de desabafo, nunca falei sobre isso com ninguém então vou começar. Então, eu tenho uma amiga (vamos chamá-la de A) e nós conhecemo-nos à 10 anos, desde sempre eu fui mais quieta enquanto ela era mais extrovertida e gostava de se destacar, quando éramos mais pequenas na nossa escola tínhamos um grupinho de amigas que era eu, a A e mais duas meninas (vamos chamá-las de B e C) que eram dois anos mais velhas que nós, quando fomos para o quinto ano mudámos de escola para a escola que a B e a C já estudavam, como não conhecíamos ninguém ficávamos com elas até que como é óbvio começamos a conhecer outras pessoas. As pessoas da nossa turma tinham começado a falar mais comigo já que aparentemente eu parecia ser mais simpática, A não ficou muito feliz mas aquele ano passou. No sexto ano praticamente ninguém da nossa turma gostava dela já que ela desafiava todas as pessoas incluindo os professores. Mais um ano se passou e estávamos no sétimo ano, como é normal aqui no sétimo ano as turmas mudam e nós ficamos na turma nos meninos "valentões" aqueles que achavam que eram os machos por terem repetido de ano umas vezes e fumarem, logo A começou a juntar-se a eles e começou a entrar naquele mundo para entrar no grupo. Logo as notas delas baixaram ainda mais, todas as aulas ela ia para a rua, falava grosso com os professores e etc. A tornou-se uma pessoa mais tóxica do que já era e por isso muitas pessoas se tinham afastado dela, A começou a fazer-me pior do que já fazia, fazia com que eu me sentice pecima comigo mesma, odiar a minha aparência entre outras coisas, eu comecei a ficar mais destante das pessoas que amo e para piorar fiquei a saber uma das amigas dela que ela falava muito mal de mim nas costas e isso afetou-me mais ainda, as minhas notas começaram a baixar eu comecei a fazer coisas horríveis com o meu corpo porque pensei que talvez assim pudesse melhorar aquela dor que eu sentia. Mesmo ela continuando a fazer-me mal eu não consigo me desfazer dela, eu já a ajudei a passar por tantos momentos delicados como quando ela queria tirar a própria vida e problemas com ela própria, cada vez eu fico pior e sei que quem me faz ficar assim é ela mas mesmo assim eu tenho medo de conseguir me afastar dela e ela começar a espalhar coisas sobre mim como já aconteceu ou depois ela voltar a querer tirar a própria vida e eu não poder ajudar outra vez. Provavelmente não me vão levar mais asserio quando eu disser que idade tenho e que isso tudo começou em Setembro do ano passado, eu tenho 13 anos e queria saber se sou burra por continuar nessa amizade mesmo ela me fazendo muito mal.
submitted by to_nem_ai to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.10 09:18 lixeir108 Infelizmente não gosto da minha namorada

Eu tenho 16 anos e namoro uma menina há 3meses, ela é maravilhosa, uma pessoa sensacional e madura, mas eu não a amo. Quando eu vi ela pela primeira vez eu me senti um pouco atraído por ela e isso foi o que me fez correr atrás desse relacionamento, porém hoje reconheço que isso não era uma coisa concreta, eu não estava apaixonado por ela.
Nos últimos meses o fato de eu não gostar dela me torturou constantemente, porém quando eu pensava em acabar o namoro eu imaginava ela chorando e isso doi muito.
Há 2 dias atrás eu desabafei com um amigo, ele foi o primeiro a saber, eu chorei muito enquanto conversavamos e meio que me aliviei um pouco Dps dessa conversa eu tive certeza do que eu devo fazer, isto é, acabar o relacionamento pra que não seja mais torturoso depois.
Então eu planejo falar sobre isso com ela semana que vem na terça feira. A coisa que eu mais queria agora era uma máquina do tempo ou ficar em coma.
submitted by lixeir108 to desabafos [link] [comments]


2020.07.09 21:34 GabrielaMRib Acho que estou com depressão

É isto! Acho que minha depressão voltou e eu precisava conversar com alguém. Quero muito melhorar, não me reconheço mais. Já passei por isso uma vez e não quero passar de novo. Não tenho ninguém pra falar sobre isso. Tentei conversar com meu namorado, mas ele disse que não sabe lidar com essas coisas, que não que o que falar etc. Não tenho amigos que realmente se importam comigo ao ponto de me apoiar nisso e minha família sequer sonha que me sinto assim, e quero que continue dessa forma.
Não posso passar em psicólogo agora, pretendo só depois que passar esta pandemia (caso eu não melhore).
Vocês conhecem algum grupo pra conversar sobre isso ou algo do tipo? Gostaria muito de conhecer, pois preciso muito conversar sem medo e sem preocupações, não aguento mais chorar o dia todo em casa, no trabalho, enquanto estudo.. não sinto motivação pra nada e nem prazer em nada. Meu namorado diz que eu mudei e não estou mais alegre e engraçada como sempre (tenho até medo dele perder o interesse em mim por isso). Perdi a vontade de estudar, e eu amo estudar, aprender coisas novas etc..
Preciso melhorar isso, quero voltar ao normal e acredito que uma boa conversa já seria um primeiro passo.
Alguém poderia me ajudar?
Muito obrigada!!
submitted by GabrielaMRib to desabafos [link] [comments]


2020.07.06 07:49 LalaOpsy A VAGABUNDA DA MINHA IRMÃ

Oi Luva, oi editores, ou turma que está a ver, oi reddit, e já entendemos.
Não acho que minha história seja interessante o bastante para um vídeo ( aH mAiS iSsO sOu Eu QuE vOu JuLgAr -na verdade é meio que o Tuxo pq ele que seleciona) mas eu queria mais desabafar com uma comunidade que não vai simplesmente apontar o dedo para mim (E que não é minha família).
Simborá
Eu tenho pais separados desde meus 11 anos (eles se separaram no Natal) e eu sempre fui mais ligada com meu pai do que com a minha mãe, uma vez que ela sempre trabalhou em 3 escolas, mas ele era um pouco... desleixado, e acabou que quem me criou quando bebê foi minha tia. Isso fez com que na verdade eu não tivesse ligação de fato com nenhum dos dois, mas se fosse comparar eu conversava mais com meu pai do que com minha mãe.
Logo, meu pai conhecia (por histórias e coisas que eu falava no geral) meus amigos que eram na sua maioria meninos e então desde pequena sempre me explicou bastante sobre a mente masculina. Minha mãe nunca se importou muito, dizendo que era bom para mim ter amigos meninos para me proteger, já que as outras meninas da minha escola não gostavam muito de mim (Não me importava muito também já que desde pequena eu faço cursos gratuitos aleatórios ou peço livros para aprender algo novo, ter amigas - do mesmo sexo que eu- ou muitos amigos era a minha última preocupação)
Isso tudo é mais um contexto para entender a situação...
... Mais um contexto que vai ser importante para a história: Eu tenho um transtorno mental e problemas neurológicos e, por isso, tomo uma quantidade muito grande de remédio. Um desses remédios eu tenho que tomar a noite pq ele me faz ficar muito enjoada e sonolenta, e quando eu não durmo até sumir o efeito dele eu chego a desmaiar ou no mínimo vomitar.
Agora eu tenho 16 anos e estou no último ano do ensino médio técnico e me preparando para a prova da faculdade japonesa que quero (um bônus: Aprendi japonês com minha madrinha quando pequena -que é japonesa- e adorava ver suas lives estudando japonês), então eu preciso acordar cedo para as aulas normais, que por causa do técnico vai até 17hrs, e aproveitar o tempo depois para estudar para o ENEM e para essa prova da facul japonesa, nisso eu fico mentalmente cansada de noite. Tenho uma irmãzinha de 2 anos que adora estudar comigo. Como eu não passava muito tempo em casa por causa do colégio integral e cursos eu sempre deixei ela dormir comigo para tentar criar um vínculo uma vez que ano que vem se tudo der certo estarei fora do país.
Como eu comentei antes, meu pai era bem desleixado tendo uma família, agora imagina sem ter ninguém. É. Tá osso. A casa dele é um nojo e ele não se cuida, ele é sempre bem arrogante comigo e gosta de jogar na minha cara que eu não visito ele só pq minha mãe tem mais dinheiro que ele (O que eu já expliquei mil vezes que eu não vou pq não tenho muito tempo, e o mesmo tempo que tenho para ele, também tenho para minha mãe e para minha tia - que eu chamo de mamãe e visito ela quando tenho tempo) Eu só ia na casa dele pq ele cuidava dos meus bichos, meus 3 gatos, meu coelho e minha aranha, mas desde que ele deixou uma peguete dele matar minha aranha de estimação só pq ela tinha nojo, eu não o visitava mais com a frequência que já não existia. Um pouco antes da quarentena ele me ligou dizendo que um dos gatos estava doente, mas eu estava no hospital e não tinha como eu fazer muita coisa, então mandei ele levar no veterinário que ele me mandava a conta e eu pagava ( eu faço slides e folders para lojinhas pequenas para ter meu dinheiro próprio) mas ele surtou e disse que eu estava jogando na cara dele que eu tinha dinheiro para um veterinário e ele não. No mesmo dia meu gato morreu e por conta da forma que ele me tratou acabei me afastando dele.
A quarentena chegou e a uns dias atrás ele me ligou(fazia um tempo que a gente não se falava) para avisar que o outro gato estava doente. Eu mandei ele ir no veterinário que eu pagava, ele disse que já tinha ido e estava dando os remédios necessários. No momento eu não estranhei que ele tivesse dinheiro para isso (ele não trabalha) mas quando ele me ligou avisando que o gato tinha morrido eu me dei conta que não tinha como ele ter ido, e pior, eu me dei conta que os bichos podias estar morrendo por conta da sujeira da casa, um fungo ou sla. Me senti uma imprestável por não ter feito nada antes de chegar nesse ponto. Como pode ser percebido no feedback da história eu não tinha muitos amigos então meus bichos são tudo para mim, e saber que aquilo estava acontecendo por culpa minha me devastou.
Isso fez eu ficar estressada nos dias seguintes e agora que vem a Main Story.
Minha irmã estava dormindo comigo como de costume e ela teve um pesadelo, me acordando. O problema era que eram 4 da manhã e ela continuou gritando e dormindo e gritando e dormindo por um bom tempo. Eu decidi ficar acordada(eu n decidi né) por ela e por causa dos remédios passei muito mal no dia seguinte. Mandei uma mensagem para um amigo meu dizendo que não tinha dormido muito bem, ele perguntou pq e eu falei " Pq a vagabunda da minha irmã teve pesadelos".
Eu tenho o mínimo de discernimento para saber que não devo falar assim em casa, e eu tenho noção que não vou falar assim com coleguinhas de escola, mas ele é meu amigo então sei que posso falar como eu quiser.
O problema foi que no dia seguinte minha mãe foi ver algo no meu celular e viu essa mensagem (ela tava fuxiricando) . Ela gritou horrores comigo e disse que eu nunca mais poderia chegar perto da minha irmã e que não sabia mais quem eu era, pq se eu falava assim da minhã própria irmã para alguém eu poderia falar pior de qualquer um e ela não tinha criado uma filha para ser assim (Ela não me criou mas ok, ela paga minhas contas e eu a amo por isso) Ela mandou mensagem do meu celular para os meus melhores amigos(vulgo meus únicos 3 amigos) dizendo que eu estava me tornando uma pessoa totalmente diferente e não merecia nem meu celular nem minha irmã mais, então eu não poderia mais responder eles pq ficaria sem celular, contou que eu tinha chamado minha irmã de vagabunda, tirou print e mandou para eles e para a minha família por parte de mãe toda. O problema foi que nenhum dos três achou certo o drama que ela estava fazendo e ela foi arrogante com com 3.
Um desses três era esse meu amigo, dono da conversa e ela meio que jogou como se ele tivesse me transformando em uma pessoa que falava esse tipo de palavra, agora ele não tá querendo falar mais comigo(eu tive que pegar o celular de volta pq eu estudo) para "não causar mais problemas", meu outro amigos foi quem mais discutiu com a minha mãe e agora ela não quer que eu fale com ele e meu último amigo simplesmente ignorou minha mãe pq ele é meu amigo desde o fundamental então nem ligou.
Conclusão: Nessa semana(05/07) eu não estou mais dormindo com a minha irmã nem podendo ajudar nas coisas que envolvem ela, meus amigos não estão falando comigo, e eu tinha pedido para minha mãe ir comigo buscar meu gato e meu coelho da casa do meu pai mas eu não sei se ela vai mais, uma vez que tudo que eu faço agora ela está reclamando e não tenho mais direito de pedir nada. Eu literalmente só estudo e não posso nem conversar com meu psiquiatra mais pq ele morreu de COVID a umas semanas. Eu pensei em colocar essa história em "Quem é o babaca?" mas sinceramente, minha família já está me julgando demais e eu não quero ser julgada por mais alguém.
É isto, desculpa o texto gigante, mas... É isto rsrs
Beijos de luz pq estamos precisando, <30
submitted by LalaOpsy to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.29 20:20 throwaway2159861 Fracassei em todos os aspectos da minha vida

Boa tarde, estou precisando desabafar e resolvi contar aqui grande parte da minha história e talvez fazer uma auto-análise. Imagino pelo que vi e vivenciei que é possível que muitas pessoas se identifiquem com os assuntos que eu vou falar, então pode até ser uma leitura interessante.
Antes de começar, recomendo essa música pra quem por ventura vier a ler o texto abaixo. Ela não tem nada de especial, mas eu gosto bastante dela.
https://www.youtube.com/watch?v=7NLvmr7zpso
Pois bem, atualmente tenho 28 anos, quase fazendo 29 e estou terminando a minha segunda faculdade. Provavelmente algumas coisas em relação a datas serão confusas pois além da minha memória ser bastante ruim, ela se restringe aos últimos 5 anos da minha vida. Então, as últimas memórias que eu tenho são da copa de 2014 no Brasil onde consegui assistir a alguns jogos. Eu não sei se isso é neurológico, mas estou pra ver isso tem alguns anos já. Antes que perguntem, eu tenho memórias de situações anteriores, mas em vez de lembrar do fato em si eu me lembro de alguma outra pessoa me contando, então é uma espécie de memória de segunda mão.
Enfim, quando eu tinha cerca de 10 anos eu tive depressão crônica e comecei a tomar medicamentos para tratar isso. Por volta dos 13~14 além do tratamento da depressão, eu comecei a ter ataques de pânico intensos, de modo que eu tive que abandonar o colégio por cerca de 6 meses pois eu não conseguia sair de casa. Também desenvolvi um distúrbio de personalidade esquizóide. Felizmente acabei não perdendo o ano pois a direção entendeu a minha situação e eu tinha boas notas, esporadicamente eu arrumava a matéria do colégio e lia em casa pra tentar aprender alguma coisa. Curiosamente um amigo meu me contou anos depois que a minha mãe por volta dessa época pediu pra ele e alguns outros amigos tentarem me convencer de ir numa excursão do colégio que seria durante um feriado prolongado.
Avançando um pouco, por volta dos 17 anos e perto de prestar o vestibular, eu não tinha a menor idéia de qual curso eu deveria escolher. Cheguei a perguntar para o meu pai se ele poderia me dar mais um ano pra escolher a carreira enquanto eu fazia um cursinho mas ele só riu e achou que eu estivesse de sacanagem. Por fim, acabou falando pra eu fazer Direito pois ele sempre achou que todo mundo deveria saber o básico das leis, além do fato de ter trocentos concursos públicos disponíveis pros graduados. Nesta época, eu já estava de saco cheio de estar indo no psicólogo e no psiquiatra com regularidade, além de ter que tomar os medicamentos todo dia. Pra ser sincero, comecei a tomar os medicamentos em dias alternados em vez de diariamente e cada vez mais fui espaçando, até o ponto de achar que eu não precisava tomar mais. Não notei mudança nenhuma no meu comportamento, apenas uma grave insônia. Depois de um tempo então revelei que eu não estava mais tomando os medicamentos para os médicos e para os meus pais e como aparentemente não fazia diferença nenhuma porque ninguém percebeu, eu só parei de frequentar o psicólogo e psiquiatra de um dia pro outro.
Como eu não sabia pra qual curso prestar vestibular, acabei acatando a idéia do meu pai, só que eu não tinha motivação nenhuma pra estudar. Aliás, eu nunca tive e sempre fiz parte da grande maioria dos alunos que estudam apenas na véspera. Para a minha grande surpresa, acabei passando no vestibular e só fiquei sabendo aos 45 do segundo tempo, no penúltimo dia da pré-matrícula quando um amigo meu veio me dar parabéns. Foi uma conversa engraçada, ele me deu parabéns mas eu não sabia pelo quê, já que eu não tinha acompanhado o resultado do vestibular pelo fato deu não ter estudado durante o ano. Foi uma grande sorte, que aliás é um tema recorrente na minha vida. Dei sorte do meu colégio dar o conteúdo inteiro durante o 1º e 2º anos do ensino médio, deixando o 3º ano apenas pra revisão da matéria toda, então querendo ou não, eu assistindo as aulas acabei fazendo uma revisão sem querer. Dei muito mais sorte do meu amigo ter me avisado, já que sem ele eu perderia a matrícula e só deus sabe o que aconteceria. Talvez eu conseguisse o meu sonhado ano pra descobrir o que eu queria fazer da vida, mas me conhecendo, acho que eu apenas procrastinaria por mais um ano.
Já no começo da faculdade eu percebi que as carreiras legais não eram pra mim. Na verdade, analisando friamente, tenho certeza de que eu seria um bom juiz, devido à minha personalidade e jeito de ser. Infelizmente nasci sem a motivação necessária para traçar objetivos de longo prazo e perseguí-los. É bem verdade que eu considero que não se nasce com isso e que é tudo uma questão de disciplina, mas não me vejo mudando isso na minha personalidade no curto, médio ou longo prazo. Talvez seja um mecanismo de defesa pra me prevenir do fracasso, afinal de contas, ninguém pode dizer realmente que fracassou se nem tentou.
Enfim, apesar de achar a área da advocacia algo bastante chato, passei a me interessar moderadamente pela área acadêmica, mais especificamente pelo jusnaturalismo. Na época da faculdade comecei a ler um pouco sobre religião comparada e sempre achei que o direito sem uma base metafísica não passa de um jogo de poder onde quem possui mais faz a lei e quem não possui apenas obedece. Até hoje tenho vontade de realizar uma pesquisa acadêmica sobre isso, mas as chances beiram a zero pois a vida acontece.
Também durante a faculdade eu comecei a ter recaídas da depressão, mas como eu já conhecia os sintomas, eu sempre tomava medidas contra a minha própria vontade para tratar o problema no início. Eu tinha que manter um horário de sono regular, fazer algum tipo de exercício físico diariamente e ter uma alimentação mais saudável. Isso realmente funciona, então se alguém estiver passando por isso, recomendo fazer isso antes de partir para algo mais radical. O problema é que isso é chato demais e eu não conseguia manter essa disciplina por muito tempo, então eu ficava alternando períodos bons e ruins. Na verdade, isso acontece até hoje, mas aos poucos fui aprendendo a lidar com isso.
Vou abrir um parêntese aqui pois pelos anos de experiência, percebo que muitas pessoas passam pelo mesmo problema que eu, sobretudo aqui que é um lugar para desabafos anônimos. Também não é um assunto fácil de conversar com as pessoas, a não ser que você tenha ótimos amigos ou uma família bem estruturada que se importa realmente com você. A minha família sempre me deu essa abertura, mas por conta da minha personalidade eu nunca fui capaz de falar nada disso com eles. Aliás, não sei nem se adiantaria alguma coisa falar com eles. Acredito que o melhor meio mesmo seja apenas ler relatos na internet de pessoas que passam por uma situação semelhante pra saber que isso não acontece só com você. Acho que isso foi o grande motivador pra eu escrever este texto.
Gostaria de falar sobre sentimentos. É bastante paradoxal, visto que eu sou literalmente analfabeto em matéria de sentimentos e não sinto quase nada devido à minha TPE. Ainda sim, acredito que ajuda bastante saber que alguém tem a mesma sensação que você, pois é algo difícil de colocar em palavras. A pior delas é justamente esse algo que não tem nome. É como se fosse alguma coisa queimando, mas não queimando num sentido físico. Está mais para uma dor na alma, ainda que paradoxalmente a dor pareça física. Desde pequeno eu sinto isso e não consigo imaginar a minha vida sem sentir isso. A melhor forma que eu encontrei de descrever essa sensação até hoje foi como se existisse um buraco negro em algum lugar aqui dentro e que ele estivesse sugando tudo, até mesmo a tristeza, só que como ela está em maior quantidade, é o que acaba sobrando pra gente, ainda que essa tristeza não seja tão intensa quanto já foi em outros momentos.
Voltando, já no meio da faculdade eu sabia que teria problemas caso eu decidisse mudar de carreira pois seria bem mais difícil a minha entrada no mercado de trabalho sem experiência e com uma idade avançada, sem contar psicologicamente, já que os meus amigos estariam numa posição mais avançada da carreira profissional e consequentemente ganhando muito mais dinheiro que eu, o que é difícil pra qualquer pessoa, ainda que você não se importe muito com isso. Eu decidi não abandonar o curso no meio pois era um curso de renome numa excelente faculdade, então ainda tive que aturar mais 2,5 anos estudando algo que eu não gostava só pra pegar o diploma no final tendo certeza que eu não iria usá-lo.
Pois bem, prestei o enem no último ano da faculdade e consegui emendar um curso no outro. Não pra minha surpresa, descobri que o segundo curso que eu escolhi também era horrível e confesso que até cogitei em voltar pra advocacia. O problema é que eu não tive nenhuma experiência profissional em escritórios de advocacia e já esqueci o conteúdo da faculdade anterior, o que basicamente me impossibilita de voltar pra carreira anterior.
Ao menos arrumei um estágio e estou ganhando um salário mínimo por mês até eu me formar, que eu espero que seja daqui a dois meses. A parte ruim é que provavelmente não vão me contratar e eu vou ficar desempregado, a parte boa é que eu odeio o meu trabalho e provavelmente não vou aguentar nem mais 1 ano trabalhando lá.
Dito isto, vamos aos problemas e ao real motivo do desabafo. De uns tempos pra cá o negócio do meu pai está indo muito mal, de modo que tivemos que pegar alguns empréstimos com o banco e o coronavírus acabou forçando o negócio a ficar parado desde março. Então, já estamos numa situação periclitante.
Não bastasse isso, recentemente meu pai teve que operar para tirar um tumor e ao que tudo indica, provavelmente ele está com câncer. Além disso o meu pai está no limite de fazer parte do grupo de risco do covid e trabalha com atendimento ao público. Não sei como faremos pra tomar conta do negócio, já que ele provavelmente vai ter que parar de trabalhar pra fazer o tratamento.
A minha mãe por sua vez é aposentada por invalidez. A minha irmã tentou abrir um negócio também mas foi paralisado pelo coronavírus, sendo que ele já não ia bem. Desde o ano passado ela veio com uma proposta deu tomar conta da parte administrativa da coisa e tirar um dinheiro para mim do que entrar, mas a verdade é que ainda não consegui tirar sequer 1 real da coisa pois essa é a única fonte de sustento da minha irmã, então tudo o que eu consegui foi trabalhar de graça e um monte de dor de cabeça.
Eu por minha vez estou trabalhando entre 10 e 14h por dia ganhando um salário mínimo, fora o estresse e ainda tenho cerca de 5 semanas pra escrever o TCC que eu nem comecei pra me formar na faculdade daqui a 2 meses.
A única notícia boa que eu tive recentemente foi um conhecido meu ter me contado que só não se matou porque há uns anos atrás eu liguei e conversei com ele bem no dia em que ele tinha pretendido se suicidar.
Dada a minha situação é difícil não pensar em se matar constantemente. Não que isso seja algo novo, tenho esses pensamentos recorrentes desde os 13 ou 14 anos de idade, mas entre pensar e fazer existe um abismo infinito de modo que eu nunca cogitei seriamente fazer isso. Ainda sim, deixo sempre a opção aberta muito embora eu tenha me decidido a fazer isso só depois dos meus pais e da minha irmã morrerem.
Sendo bem sincero, motivos mesmo pra continuar vivendo eu não tenho nenhum. A única coisa que ameniza um pouco é eu tentar deixar a vida um pouco menos merda para os meus familiares, só que o fato é que eu tenho 28 anos na cara e não consigo nem me sustentar sozinho. Se o meu pai morrer, seja de câncer ou de coronavírus, imediatamente teremos que vender o apartamento e ir morar de aluguel ou com algum parente.
Eu acho que isso tudo é culpa minha, mas no fundo eu sei que não é, já que ninguém é capaz de prever o futuro. Também sei que a minha situação não é tão ruim quanto a de outros, já que eu ainda tenho um teto e comida, mas também sei que a coisa pode ficar feia muito rápido.
Acho que o maior agravante é que eu não tenho sequer 1 área da vida onde eu tenho um desempenho satisfatório. Fracassei economicamente, já que não consigo me sustentar; Fracassei amorosamente, visto que não tenho perspectiva nenhuma de constituir família; Fracassei socialmente pois o meu já pequeno círculo de amizades está se tornando cada vez menor muito pela perda de contato, já que eu não tenho mais como acompanhar os meus amigos com tanta frequência devido à falta de tempo e dinheiro; e a pior de todas, é a sensação de que fracassei como filho. Sim, é verdade, e eu tenho certeza que ninguém nunca vai falar isso, mas não existe nada mais natural que os filhos tomarem conta dos pais na velhice. Infelizmente pra mim, esse tempo chegou e eu não fui capaz de resolver esse problema à altura.
Quem não gostaria de bancar os pais para eles pararem de trabalhar, depois de uma vida inteira de trabalho? No meu círculo social já há pessoas que conseguiriam fazer isso, ao menos durante esse período de quarentena. É inevitável a comparação, mesmo sabendo que cada um é cada um. Eu sempre soube que seria difícil não ficar chateado com esse tipo de coisa quando eu escolhi mudar de carreira, mas está beirando o impossível. Não apenas no aspecto econômico, mas também no aspecto afetivo. Desde sempre a minha família soube que eu era praticamente um autista no quesito de relações sociais, ainda que eu esteja infinitamente melhor do que quando eu era mais novo. O que pega mais, é que no meu íntimo eu sequer considero a minha família como família propriamente dita. Eu entendo que eu tenho um dever moral para com eles, mas não vejo diferença entre eles e os outros seres humanos. É por isso que eu nunca falei eu te amo para eles e nem para ninguém. Não tenho certeza se eu vou chegar a falar isso pra alguém na minha vida, mas tudo indica que não.
Enfim, eu tinha mais coisas pra falar, mas infelizmente tenho que voltar a trabalhar. Desabafar aqui não foi ruim, eu deveria fazer isso mas vezes. Dito isto, eu estou juntando um dinheiro pra me consultar com um psicólogo online depois de quase 10 anos. Eu gostaria de ter dinheiro pra fazer pelo menos 2 meses, mas é difícil achar um psicólogo bom na faixa de preço que eu posso pagar.
Se possível, eu também gostaria de um feedback sobre o texto em si. Eu tenho uma conta anônima no medium e escrever lá, ainda que infrequentemente por falta de tema ou tempo, acabou se tornando uma das poucas diversões que eu tenho, muito embora eu ache que seja difícil alguém chegar a ler até o final, dado o tamanho imenso do texto.
É isso, excelente dia pra vocês.
submitted by throwaway2159861 to desabafos [link] [comments]


2020.06.29 13:27 Bibitas Sou babaca por estar apaixonada pelo mesmo cara ha 5 anos e ter-lhe dado 4 foras?

Oi Lubisco, turma, papelões, editores e possível convidado (se for o Jean ele não tem oi)
Prefiro que não divulgue o meu nome por isso pode chamar-me de de qualquer nome que queira (carls provavelmente)
a minha história é a seguinte (se prepara porque são 5 anos de historia)
estava eu na sétima série quando um garoto novo entra na minha turma e eu já o conhecia deste a terceira série (ele estava na quarta nessa altura) e nessa época ele fazia bullying comigo devido ao meu peso, entre tanto, quando ele entrou para a minha turma por ter reprovado o ano eu nem olhava para a cara dele mas ele estava sempre tentando falar comigo super educado e “fofo” mas eu sempre dava respostas curtas, ele também estava sempre a querer fazer parte do meu grupo de trabalho mas eu nunca deixava. Com o passar do tempo eu fui falando com ele e percebi que ele já não era o mesmo babaca da 4ª serie (pensava eu) então quando dei por mim estava toda boba atrás dele. Cheguei a declarar-me para ele num dos intervalos mas ele disse que ja sabia e eu fugi dele kkk, ele me convidou para sair (acabamos por nao ir) e como sentava atrás de mim nas aulas estava sempre a mexer no meu cabelo e eu amava isso.
Um dia eu ia sair com umas amigas minhas (entre elas a irmã dele) e estávamos a almoçar na escola a falar sobre a nossa ida ao cinema quando ele se meteu no meio da conversa e deu a entender que queria ir tmb e eu perguntei se ele queria mas ele disse que não, MAS quando estávamos todas a sair de minha casa para a minha mãe nos levar para o cinema a mãe dele ligou para a minha e pediu para ele ir no cinema e LÓGICO que eu fiquei boba da vida e disse que sim então assim foi... ele ficou do meu lado do cinema e me deu a mão e tal, encostamos as cabeças, nada de mt 😏😏 mas foi muito fofo. Quando voltamos para casa depois do cinema (o filme foi resident evil caso esteja curioso) ele jantou comigo e com minhas amigas e mais uma vez a mãe dele ligou para perguntar se ele e a irmão podiam dormir em minha casa pois ela tinha q ir fazer sei la o q e não podia “tomar conta deles”. eu montei um colchão para eles dormirem ao lado da minha cama e quando eu fui dormir o meu braço estava pendurado e ele me deu a mão. Na manhã seguinte ele me acordou as 7 horas da manhã e pediu para se deitar cmg e ficamos falando de coisas aleatórias abarçados até que ele me pergunta se pode beijar-me e assim nos beijamos e ele passou o dia todo comigo e me beijou varias vezes. MAS na segunda feira (isto se passou num sábado) ele começou a namorar com uma das minhas melhores amigas (não tinha ido no cinema) e espalhou pela escola toda q eu era uma garota super fácil e que só queria sexo comigo. Um ano Se passou e ele tinha mudado de escola e nos fomos mantendo contacto e ele e minha (ex) amiga terminaram porque ele não a suportava (palavras dele) e ele estava sempre a dar em cima de mim. eu já não me lembro de tudo mas o que precisa saber é durante estes 5 anos ele teve umas 7 namoradas (se calhar exagerei um pouco kkk) e ele terminou com umas 2/3 para ficar comigo (alturas diferentes) e eu sempre dizia que não. Uma das vezes nos fomos a uns concertos gratuitos ao ar livre e ele foi comigo e mais uns amigos nossos mas quando ele me pediu para ter apenas uma amizade colorida comigo e quando encontrasse-mos alguém parávamos e caso não desse certo para esse alguém voltávamos e eu disse que não queria, que ou era a serio ou não era nada, não ia ser tapa-buracos de alguém. ele esteve super fofo cmg a noite toda mas quando eu disse não ele parou de me falar. Mais algumas vezes estas coisas se passaram e eu dizia que ainda gostava dele e ele dizia que ainda gostava de mim mas quando íamos ter algo serio mesmo eu sempre dizia q não a ultima da hora. O anos passado ele meio que ”invadiu” o meu jantar de turma porque eu tinha ficado chateada porque a minha nova melhor amiga estava dando em cima dele (ela sabia que eu amo ele). Agora estou no 2º ano do secundário, ainda o amo mas ele namora e desta vez parece ser mesmo serio. Nós somos super amigos e como temos ambos insónia ficamos falando ate as 5/6 da manhã todos o dia, eu posso confiar nele para tudo, ele sabe TUDO sobre mim menos que eu ainda o amo, mas não consigo confiar nele para namorar. Eu tenho medo q ele um dia arranje outro alguém tipo eu q vai dando em cima enquanto namora e depois acabe comigo para ficar com a garota. Eu me sinto super mal por todas as garotas que ele terminou por ”minha causa” (Nunca lhe disse nem dei a entender para ele o fazer). Recentemente ele me “convidou” para ser madrinha do cachorro que ele e a namorada dele vão ter quando casarem no futuro. Eu fiquei bem mal mas n demonstrei.
Sinto que desperdicei as minhas oportunidades... mas eu apesar de o amar não consigo confiar nele...
sou babaca por lhe ter dado foras se ainda o amo e por ter de certa forma “dado em cima dele” com ele namorando e depois recusar ficar com ele?
Independentemente da resposta alguém me diga o que fazer pfv.
(resumi muito mesmo, mas o importante está aqui)
Nota que talvez tenha relevância: ele foi o meu primeiro beijo e continua sendo o único.
beijos <30
submitted by Bibitas to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.27 19:39 Aresuke Paganismo


Há metafísica bastante em não pensar em nada.
O que penso eu do Mundo?
Sei lá o que penso do Mundo!
Se eu adoecesse pensaria nisso.

Que ideia tenho eu das coisas?
Que opinião tenho sobre as causas e os efeitos?
Que tenho eu meditado sobre Deus e a alma
E sobre a criação do Mundo?

Não sei. Para mim pensar nisso é fechar os olhos
E não pensar. É correr as cortinas
Da minha janela (mas ela não tem cortinas).

O mistério das coisas? Sei lá o que é mistério!
O único mistério é haver quem pense no mistério.
Quem está ao sol e fecha os olhos,
Começa a não saber o que é o Sol
E a pensar muitas coisas cheias de calor.

Mas abre os olhos e vê o Sol,
E já não pode pensar em nada,
Porque a luz do Sol vale mais que os pensamentos
De todos os filósofos e de todos os poetas.
A luz do Sol não sabe o que faz
E por isso não erra e é comum e boa.

Metafísica? Que metafísica têm aquelas árvores
A de serem verdes e copadas e de terem ramos
E a de dar fruto na sua hora, o que não nos faz pensar,
A nós, que não sabemos dar por elas.
Mas que melhor metafísica que a delas,
Que é a de não saber para que vivem
Nem saber que o não sabem?

"Constituição íntima das coisas"...
"Sentido íntimo do Universo"...
Tudo isto é falso, tudo isto não quer dizer nada.
É incrível que se possa pensar em coisas dessas.
É como pensar em razões e fins
Quando o começo da manhã está raiando, e pelos lados das árvores
Um vago ouro lustroso vai perdendo a escuridão.

Pensar no sentido íntimo das coisas
É acrescentado, como pensar na saúde
Ou levar um copo à água das fontes.

O único sentido íntimo das coisas
É elas não terem sentido íntimo nenhum.
Não acredito em Deus porque nunca o vi.
Se ele quisesse que eu acreditasse nele,
Sem dúvida que viria falar comigo
E entraria pela minha porta dentro
Dizendo-me, Aqui estou!

(Isto é talvez ridículo aos ouvidos
De quem, por não saber o que é olhar para as coisas,
Não compreende quem fala delas
Com o modo de falar que reparar para elas ensina.)

Mas se Deus é as flores e as árvores
E os montes e sol e o luar,
Então acredito nele,
Então acredito nele a toda a hora,
E a minha vida é toda uma oração e uma missa,
E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.

Mas se Deus é as árvores e as flores
E os montes e o luar e o sol,
Para que lhe chamo eu Deus?
Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;
Porque, se ele se fez, para eu o ver,
Sol e luar e flores e árvores e montes,
Se ele me aparece como sendo árvores e montes

E luar e sol e flores,
É que ele quer que eu o conheça
Como árvores e montes e flores e luar e sol.

E por isso eu obedeço-lhe,
(Que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?),
Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,
Como quem abre os olhos e vê,
E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,
E amo-o sem pensar nele,
E penso-o vendo e ouvindo,
E ando com ele a toda a hora.

(Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa)
submitted by Aresuke to Filosofia [link] [comments]


2020.06.25 18:14 altovaliriano Por que Martin não quer falar sobre Qarth?

Em 2014, quando “O Mundo de Gelo e Fogo” foi lançado nos Estados Unidos, todos os cinco livros com que a saga hoje conta já haviam sido lançados. Em verdade, até mesmo “Atlas das Terras de Gelo e Fogo” já estava a venda havia dois anos. Portanto, os leitores esperavam que o livro co-escrito por Linda Antonsson e Elio Garcia Jr. servisse para aprofundar o conhecimento sobre um mundo que Martin vinha desnudando em câmera lenta, em um longo strip-tease de 18 anos.
O livro provou ser tudo isso e um pouco mais. O autor fictício do livro, meistre Yandel, não se limita a descrever ponto-a-ponto toda a geografia e história conhecida, como também explora relatos, lendas e rumores, ponderando sobre sua confiabilidade e autenticidade. Assim, mesmo a escassez de conhecimento objetivo não impediu meistre Yandel de nos apresentar aos rincões mais distantes do mundo em que “As Crônicas de Gelo e Fogo” se passam.
Exceto em três casos.
1. Os casos de Solarestival, Meereen e Qarth
Desde a primeira leitura de TWOIAF, é possível perceber que Yandel mantém a tragédia em Solarestival sob as mesmas névoas misteriosas que a encobrem na saga principal. Quando o meistre toca no assunto, é sempre breve e digressivo.
De fato, um dos golpes mais baixos de Yandel vem na forma de um relato do Arquimeistre Gyldayn que, convenientemente, estava parcialmente ininteligível em razão de uma mancha de tinta. Ao fim da leitura, era virtualmente possível ouvir as risadinhas de Martin, seguidas pelo tradicional “keep reading“.
O caso da Baía dos Escravos é bem mais sutil. O livro já começa antecipando um resumo sobre as cidades escravocratas. Mas Yandel se limita a relacioná-las com a queda do Império Ghiscari, e lhes retrata com desdém (TWOIAF, A Ascensão de Valíria).
No decorrer do livro, algumas pequenas notas complementam o resumo inicial com curiosidades, mas não há um capítulo dedicado à cultura e história de Astapor, Yunkai, Meereen ou mesmo da Baia dos Escravos como região (como ocorre com outras localidades mais insignificantes, como as planícies de Jogos Nhai).
Acredito que isto passe despercebido em grande parte porque muitos leitores não gostam da campanha de Daenerys na Baía dos Escravos, e perderam o interesse pela região ao longo dos livros. Contudo, como eu achava improvável que Martin compartilhasse da falta de entusiasmo dos leitores, eu senti vontade de verificar a razão do silêncio.
Eu encontrei a resposta em uma entrevista que Elio e Linda deram ao site Adria’s News em 2015. A intenção dos co-autores com isso era, de fato, esconder potenciais spoilers. Mas para minha surpresa, as razões de meistre Yandel era outras, decorrentes de sua personalidade: ele aparentemente abomina a escravidão.
Em todo caso, a entrevista acabou revelando algo muito mais interessante, que eu havia deixado passar. Abaixo transcrevo (e traduzo) a passagem interessante:
Você criou o personagem Meistre Yandel para ser o fio narrativo, mas ele é tendencioso como qualquer historiador é na vida real. Você decidiu que assim seria para ter uma abordagem mais realista ou para pôr possíveis spoilers sob um filtro ambíguo?
Elio M. García Jr: A maior parte das inclinações que vemos decorre do momento, no qual há pessoas importantes e poderosas que ele não deseja ofender. O que será que ele realmente pensa? Essa é a questão. Certamente, ele não deve ter pensado bem no que os Martells iriam falar quando ele escreveu que Elia pode ter assassinado seus próprios filhos. Eu não consegui acreditar que eu inventei isso, mas se ele está preocupado com os Lannister ficarem irritados, ele tem que explicar a morte deles de alguma forma. De todo modo, eu não acho que ele vai passar as férias em Dorne durante algum tempo. Mas, de modo geral, o viés serve apenas para ser realista, haja vista que ele é muito consciente sobre a política do tempo em que ele está escrevendo. Os spoilers foram escondidos ao colocarmos coisas que ele não trata muito, como Qarth e Meereen, pois ele acha que eles são lugares horríveis, com a escravidão e tudo mais, mas também porque George não nos fornecia nada sobre Qarth. O outro grande foco de spoilers era Solarestival, mas George não quis nos informar muito sobre isso também.
Assim, se por um lado, vemos que informações sobre Meereen, Qarth e Solarestival têm sido escondidas do público, por outro, ficamos sabendo que Martin considera que manter segredo sobre Qarth é tão importante para a trama quanto o sigilo sobre o que aconteceu em Solarestival.
E, de fato, Qarth não tem um capítulo em “O Mundo de Gelo e Fogo”. Fora apresentar informações pontuais (algumas até repetições do que havia sido explicado em outros livros), tudo que Yandel diz é: “Sobre a misteriosa Qarth, não posso apontar fonte melhor do que Compêndio de Jade, de Colloquo Votar, o trabalho mais importante sobre as terras ao redor do Mar de Jade” (TWOIAF, Além do Reino do Pôr do Sol: Outras Terras).
Qarth, portanto, merece ser melhor examinada.
2. O que poderia haver em Qarth?
A importância de Solarestival e Meereen são facilmente percebidas. A tragédia de Solarestival será o capítulo final da vida de Dunk e Egg e é um segredo em si mesma. Por sua vez, vimos que o que divide Meereen entre seguidores de Daenerys e falsos amigos da rainha são razões históricas. Portanto, é razoável que Martin prefira deixar os bastidores históricos para “Os Ventos do Inverno”, e surpreender os leitores, do que colocar três páginas a mais em “O Mundo de Gelo e Fogo”.
A história de Qarth, por outro lado, tem implicações diferentes. Uma vez que a cidade nunca foi parte dos domínios valirianos, é muito capaz que essas duas civilizações já tenham guerreado. De fato, em “A Fúria dos Reis”, um dos cavaleiros dothrakis de Daenerys encontra algo relevante ao Sul de Vaes Tolorro:
Rakharo foi o primeiro a voltar. Ao sul, o deserto vermelho estendia-se por uma longa distância, ele relatou, até terminar numa costa desolada junto à água venenosa. Entre aquele lugar e a costa havia apenas turbilhões de areia, rochedos polidos pelo vento e plantas eriçadas de espinhos pontudos. Tinha passado junto às ossadas de um dragão, jurou, tão imensas que havia conduzido o cavalo por entre as suas grandes maxilas negras. Além disso, nada viu.
(ACOK, Daenerys I)
Essa impressionante descrição se assemelha à de outros animais formidáveis, muito conhecidos pelos leitores:
[…] Os poetas tinham-lhes atribuído nomes de deuses: Balerion, Meraxes, Vhagar. Tyrion estivera entre suas maxilas escancaradas, sem palavras e cheio de respeitoso temor. Podia ter entrado a cavalo pela garganta de Vhagar, embora não fosse possível voltar a sair. Meraxes era ainda maior. E o maior de todos, Balerion, o Terror Negro, podia ter engolido um auroque inteiro, ou até mesmo um dos mamutes peludos que diziam viver nas frias extensões para lá do Porto de Ibben.
(AGOT, Tyrion I)
Portanto, a ossada descoberta no Deserto Vermelho indica que o dragão que morreu ali era comparável aos maiores dragões da dinastia Targaryen. À luz da negativa de Martin de elaborar mais sobre a história de Qarth, essa descoberta passa a ser mais chamativa, pois parece indicar que, no passado, os qaathi (povo do qual os qarthenos são os últimos descendentes vivos) foram capazes de derrotar dragões desta magnitude.
Outro item que conecta valirianos e quarthenos é o berrante Atador de Dragões. Euron Greyjoy afirma ter reivindicado o artefato quando caminhou sobre Valíria. Contudo, muitos leitores (e até personagens) duvidam dessa afirmação, e acreditam que Euron roubou o berrante dos magos qarthenos que ele sequestrou (dentre os quais, o inimigo declarado de Daenerys, Pyat Pree). Esta suspeita encontra respaldo em uma fonte semi-canônica (APP, Qarth).
Entretanto, para fins da presente reflexão, interessa saber como os magos da Casa dos imortais conseguiram um berrante com glifos valirianos, feito de chifre de dragão, que supostamente tem o poder de submeter e “atar” dragões à vontade de quem quer que o sopre.
É difícil de se pensar que valirianos presenteariam qarthenos com instrumentos mágicos capazes de domar dragões, à qualquer título que fossem (ex: presente de casamento, oferenda aos imortais ou recompensa por serviços). Seria mais simples que alguém em Qarth o tivesse roubado dos valirianos. Não necessariamente enquanto os donos originais estivessem vivos.
Enquanto refletia sobre o adestramento de Drogon, Daenerys recordou que “os senhores de dragões da antiga Valíria controlavam suas montarias com feitiços de ligação e cornos mágicos” (ADWD, Daenerys X). Nesse sentido, a ossada do dragão no Deserto Vermelho poderia ser uma pista de como os magos o adquiriram. A pilhagem do cadáver de um cavaleiro de dragão que a cidade logrou derrotar explicaria a origem do berrante.
O artefato mágico, inclusive, poderia explicar porque os valirianos nunca expandiram seu império até Qarth. De posse do berrante, os qarthenos poderiam neutralizar o perigo dos dragões de Valíria. O Deserto Vermelho e as muralhas triplas forneciam a proteção da cidade contra investidas por terra, porém o Atador de Dragões seria a garantia de que Qarth estaria à salvo do fogo dos dragões.
Por fim, a última razão: George poderia ainda estar preocupado em dividir informação sobre Qarth porque teria que revelar os segredos da Casa dos imortais e da ordem dos Magos qarthenos, da Sombra da Tarde que eles consomem e das árvores de casca preta e folhas azuis (represeiros de cor invertida) de onde a bebida é extraída.
A mais breve incursão em tais assuntos poderia revelar demais sobre a trama que Martin está reservando para os próximos livros. De fato, os magos de Qarth retornaram à cena em “A Dança dos Dragões” com Euron Greyjoy e chegaram a Westeros antes de Daenerys. Portanto, sua crescente importância como vilões revela um potencial para influenciar o próprio final da saga.
Assim, é natural que Martin procure contornar qualquer oportunidade de falar sobre os magos e a natureza de sua magia. É certo que, como uma organização milenar em Qarth, a Casa dos Imortais deve ter desempenhado papel ativo na proteção da cidade contra eventuais investidas dos valirianos e outros invasores. Assim, falar sobre a história de Qarth é, de certa forma, discutir a natureza dos poderes do magos.
Essas são as razões que consegui supor. Como vemos, todas essas especulações são muito coerentes… mas não temos como afirmar nada disto com convicção.
Com efeito, Qarth não é o único lugar do mundo conhecido que possui organizações secretas com perfil mágico. Yandel foi capaz de dedicar um capítulo inteiro a descrever Braavos em ricos detalhes (apresentando um mapa, inclusive) sem que nenhum segredo dos Homens sem Rosto fosse revelado em “O Mundo de Gelo e Fogo”. Outro capítulo foi dedicado à Asshai (onde também há magos qarthenos em atividade) e a cidade continua tão misteriosa e insondável como sempre. Porto Real foi muito citada e explorada, mas não ganhamos nenhum conhecimento novo sobre a Guilda dos Alquimistas.
Assim, não há razão para acreditarmos que Martin não seria capaz de apresentar a história e a cultura de Qarth evitando discutir a natureza da magia praticada na Casa dos imortais.
Quanto ao Atador de Dragões, apesar de que a hipótese apresentada logre juntar os poucos elementos que temos à disposição de modo coerente, não há qualquer justificativa para nos fecharmos a outras possibilidade. Ou, questiono eu, seria absolutamente impossível que Martin alegasse que, no passado, um senhor de dragões valiriano sem montaria caiu em desgraça, passou por Qarth e vendeu seu valioso berrante para refazer sua fortuna? É uma explicação plausível.
Tampouco cabe alegar que um valiriano jamais cederia o berrante porque isso possibilitaria que Qarth desafiasse Valíria, pois, veja: independentemente de como o conseguiram, os magos têm um berrante. Se isso os pusessem em condições de competir com a península valiriana, o desafio já teria acontecido. E se o desafio já tivesse acontecido, Qarth teria se tornado sede de poder e teria seus próprios dragões. Como nada disso aconteceu, devemos concluir que o Atador de Dragões sozinho não tinha poder o suficiente para abalar Valíria.
Por outro lado, a carcaça de dragão em meio ao Deserto Vermelho dificilmente é prova contundente de coisa alguma, exceto de que ali foi o local do último descanso da fera. Pensar que a criatura era montada por um cavaleiro de dragão é mera especulação.
Ossos de dragão têm sido encontradas de Ibben a Sothoryos. Yandel acredita que isso é evidência de que essas criaturas, ainda que originárias das catorze chamas, “devem ter se espalhado pela maior parte do mundo conhecido antes de serem domados” (TWOIAF, História Antiga: A Ascensão de Valíria).
Além disso, há quem acredite que os dragões surgiram nas “Terras das Sombras para lá de Asshai e das ilhas do Mar de Jade“ (AGOT, Daenerys III). Portanto, os ossos no deserto vermelho podem ser apenas restos de um antigo dragão selvagem.
3. O mistério da fonte
Uma vez que Martin escolheu não nos dar uma fonte primária confiável sobre a história e cultura de Qarth, somente nos resta analisar a fonte a que ele faz remissão: o “Compêndio de Jade”, escrito por Colloquo Votar, um aventureiro de Volantis.
A obra de Votar foi mencionada primeira vez em “O Festim dos Corvos”, e depois novamente em “A Dança dos Dragões” e “O Mundo de Gelo e Fogo”. Na saga principal, porém, o livro não se limita a ser citado. Ele aparece na Muralha. Sam busca um exemplar nas bibliotecas subterrâneas de Castelo Negro para entregar a Meistre Aemon, que, depois de examiná-lo com ajuda de Clydas, o entrega ao Lorde Comandante Jon Snow.
Enquanto relia os livros para escrever esse artigo percebi pela primeira vez que o trecho em que Aemon e Jon conversam brevemente sobre o Compêndio de Jade aparece tanto em “O Festim dos Corvos” quanto em “A Dança dos Dragões” (AFFC, Samwell I; ADWD, Jon II). Fica parecendo que Martin achou por bem frisar aquela conversa.
Ao apresentar o Compêndio a Jon Snow, a intenção de Aemon era que o Lorde Comandante percebesse que a espada de Stannis não se parecia com a Luminífera da profecia de Azor Ahai. Jon chega a ler o livro, mas apenas nas páginas que o velho meistre fez Clydas marcar. O Lorde Comandante resume assim o trecho que leu (grifos nossos):
[…] – Eu olhei o livro que Meistre Aemon me deixou. O Compêndio de Jade. As páginas que falam de Azor Ahai. Luminífera era a espada dele. Temperada com o sangue de sua esposa, se é possível acreditar em Votar. Depois disso, Luminífera nunca foi fria ao toque, mas quente como Nissa Nissa havia sido quente. Em batalha, a lâmina queimava ardente em fogo. Uma vez Azor Ahai lutou com um monstro. Quando enfiou a espada pela barriga da criatura, o sangue do monstro começou a ferver. Fumaça e vapor saíram de sua boca, os olhos derreteram e escorreram pela sua face, e seu corpo explodiu em chamas.
Clydas piscou.
– Uma espada que faz seu próprio calor…
– … seria uma coisa boa na Muralha. – Jon colocou a taça de vinho de lado e vestiu as luvas negras de pele de toupeira. – Uma pena que a espada que Stannis empunha é fria. […]
(ADWD, Jon III)
A parte em negrito acrescenta fatos novos à versão da lenda de Azor Ahai que nos foi contada em “A Fúria dos Reis” por Sallador Saan. Desse modo, parece que o Compêndio conta com uma versão mais completa do mito. E esta versão teria sido resultado das viagens de um estrangeiro, Colloquo Votar, por “todas as terras do Mar de Jade” (AFFC, Samwell I ; ADWD, Jon II). E entre as terras estão Qarth, Yi Ti e Leng.
Por coincidência, este é o livro cujo relato sobre Qarth é, na opinião de meistre Yandel, a melhor fonte de informações que Westeros tem sobre a cidade e arredores (TWOIAF, Além do Reino do Pôr do Sol: Outras Terras ; TWOIAF, Os Ossos e Além: Yi Ti). O livro provavelmente também é a fonte mais completa. Caso contrário Yandel não se limitaria a dizer ao leitor para consultar o “Compêndio”.
Obviamente, a declaração de Yandel foi a forma achada por George Martin para nos dizer que só teremos acesso ao Compêndio (e a informações sobre Qarth) através do que as personagens nos contarem. Entretanto, ao colocar as coisas assim, Martin também nos revela que o Compêndio deve conter informações relevantes inéditas.
Mas quais são as informações que o “Compêndio de Jade” nos deu até o momento?
Samwell Tarly se refere ao livro como “um grosso volume de contos e lendas do Oriente” (AFFC, Samwell I), e realmente contos e lendas é tudo que sabemos haver nele. Segue a lista do que ouvimos falar:
  1. A versão mais completa que já ouvimos sobre a lenda de Azor Ahai e Luminífera, transcrita acima (ADWD, Jon III);
  2. uma lenda curiosa de Yi Ti sobre uma mulher com uma cauda de macaco que logrou trazer de volta o sol, após este ter escondido seu rosto da terra por uma geração – a lifetime, em inglês –, envergonhado de algo que ninguém jamais descobriu o que era (TWOIAF, História Antiga: A Longa Noite);
  3. O melhor relato sobre Qarth, na opinião de meistre Yandel (TWOIAF, Além do Reino do Pôr do Sol: Outras Terras);
  4. A afirmação de que, sob cada cidade de Yi Ti, existem outras três cidades mais antigas enterradas (TWOIAF, Os Ossos e Além: Yi Ti);
  5. o relato de que a Imperatriz de Leng, em pelo menos quatro vezes na história da ilha, condenou todos os estrangeiros da ilha à morte com base em ordens recebidas dos “Antigos”, deuses que viviam nas profundezas das cidades subterrâneas em ruína (TWOIAF, Os Ossos e Além: Leng).
Podemos observar que, fora o que já tratamos ao longo deste artigo, somente temos informações sobre Yi Ti e Leng, regiões que a primeira vista não são de interesse para a trama principal.
Ademais, das três informações, somente uma faz referência indireta a algo de interesse da trama principal: uma lenda sobre a experiência de Yi Ti durante a Longa Noite, em que uma heroína com cauda de macaco salvou o mundo de uma catástrofe.
Ocorre que essa lenda em específico parece reverberar na cultura de Yi Ti até os dias de hoje, da mesma forma como a lenda de Azor Ahai parece estar entranhada nos costumes dos qarthenos.
Não parece ser à toa que o livro pelo qual os westerosis tem a mais completa fonte de informações sobre Qarth é aquele que também contém a versão mais completa da lenda de Azor Ahai.
Explico: há algum tempo, leitores absolutamente detalhistas sugeriram que os vestidos femininos dos qarthenos, que deixam um seio exposto seriam uma referência à Nissa Nissa, a quem, segundo a lenda, Azor Ahai teria ordenado “desnude o peito, e fique sabendo que a amo mais do que a qualquer outra coisa no mundo” (ACOK, Davos I) antes de temperar luminífera em seu coração.
Isso já me soava como algo que se encaixa bem com o estilo de criação de mundo de Martin. Quando, à luz disso, eu li sobre a heroina com cauda de macaco, imediatamente me lembrei que Daenerys havia observado no mercado oriental de Vaes Dothraki “os homens de olhos brilhantes de Yi Ti com seus chapéus de cauda de macaco” (AGOT, Daenerys VI) e que “um gordo comerciante de tecidos de Yi Ti regateava com um pentoshi o preço de um corante verde qualquer, fazendo oscilar de um lado para o outro a cauda de macaco do chapéu quando balançava a cabeça” (AGOT, Daenerys VI).
Portanto, me sinto forçado a concluir que a influência que os mitos da Longa Noite exerceram sobre a moda de Yi Ti e Qarth foi criada para servir de exemplo de equiparação.
Este caso foi feito para servir de parâmetro e possibilitar ao leitor decifrar as correlações entre os eventos descritos no Compêndio de Jade e elementos da vida cotidiana das personagens, escondidas sob a fachada de contos e lendas de terra estranhas.
Por isso, acredito que o silêncio de Martin sobre Qarth funciona como convite à reflexão das evidências cifradas a nossa disposição. E, conforme se vê da lista acima, há no mínimo mais dois de relatos do livro de Colloquo Votar cuja funções na narrativa permanecem desconhecidas.
O que vocês acham?
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.06.25 13:12 4nders0n Título: "O casamento que deu errado"

olá luba ( Seu lindo ), editores, possível convidado, papelões e turma que está a ver. Hoje vou contar a história de quando um "aminimigo" meu resolveu se casar ( Obs: ainda estávamos entre o 4° e o 6° ano ) então, vamos lá. Lá estávamos nós, em meados de 2017-2019, quando um "aminimigo" meu ( vou chama-lo de carls ) pensou "hmmmmmm quero casar". Então ele chamou uma amiga ( vou chamá-la de forsus ) para se casar com ele, e ela aceitou. O casamento ia ser dali em alguns dias e os preparativos não eram lá essas coisas, os "noivos" estavam animados para o casamento. Com tudo isso em mente só faltava duas coisas 1°quem ia na "festa" ( padrinho, madrinha, etc. ) e 2° onde iria ser.Então, eles resolverem chamar um amigo meu ( vou chama-lo de françus ) para ser o padre uma amiga da "noiva" a( vou chama-la de gablus ),para ser a madrinha e EU para ser padrinho, algo que recusei na hora pois sabia que aquele casamento ia dar cococo. Enfim, era dia do casamento, lá estava o noivo esperando pela noiva, no corredor da escola onde ia ser o casamento, o padre estava lá e a madrinha Também, quanto ao padrinho ( que era para ser eu ) era meu amigo ( vou chama-lo de larls ), estava tudo pronto para começar. Então o françus disse: "carls, você aceita forçus como sua legítima esposa?". Carls: "aceito" e eu estava pensando: ''a meu Deus isso não vai dar certo" Padre: "forçus, você aceita carls como seu legítimo esposo?" Forçus:" então.... não, isso não é pra mim, eu não te amo, só queria chamar atenção para o garoto que eu realmente gosto, desculpa carls" Todos ficaram boquiabertos com a situação, então carls cheio de ódio pegou as alianças ( dos pais dele que ele lavara para escola ) e jogou uma na rua, e outra do outro lado da cerca, e foi aí que a merda realmente aconteceu. Nosso ( agora ) ex-coordenador apareceu do nada no meio do casamento, ( ele era conhecido por ser um dos caras mais bonitos e fodões da escola ) e disse: "um passarinho me contou que ia ter um casamento aqui, mas eu não tô vendo as alianças, onde elas estão carls?" nesse momento todos que estavam presentes sairam correndo desesperados, menos carls que avia sido pego pelo coordenador e sabia que se ferrara mais uma vez. Então carls disse: "se quer as alianças, você vai ter que achar" então o coordenador disse: "tá me desafiando muleque? ok, eu vou achar elas de um jeito ou de outro". Foi dito e feito, ele procurou e achou, depois disso eu ( com toda a minha criatividade ) peguei meu microfone imaginário e comecei a "brincar" de repórter. Daí o coordenador procurou a ex-noiva e quando achou disse:" carls, forçus, vocês vão ser marido e mulher na minha sala" pegou os dois e levou pra sala dele. Forçus saiu apenas com uma advertência por ter desistido do casamento, já carls,saiu com uma suspensão e uma surra da mãe, que foi chamada na escola. É isto lubixco. (edit: o dedo duro nunca foi achado...)
submitted by 4nders0n to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 20:57 DisabledZone Sou o babaca por não contar a um amigo meu uma possivel traição da sua namorada atual?? mesmo ele tendo tentado me humilhar por estár a namorar um rapaz?

Olá gente linda neste subreddit, Luba (se isto chegar até ele :'D), papelões, possivel convidado que nunca aparece e gatas do Luba. Aqui vai um acontecimento FRESQUINHO, direto de portugal.
(antes de contar o que aconteceu, primeiro tenho de dar um pouco de backstory)
[backstory] Há uns anos atrás, havia uma menina que andava na mesma escola que eu (vamos chama-la de Farls), a Falrs tinha comportamentos de certa forma...duvidosos, pois ela fazia TUDO, repito T.U.D.O pra ter o que ela quer, especialmente rapazes pra ela namorar. Acontece que eu fui uma das "vitimas" da Farls, mas como ja namorava nessa altura, eu obviamente rejeitava-a, mas ela não aceitava o "NÃO" como resposta, chegando ao ponto de AGREDIR a minha namorada nessa altura, tendo levado uma surra dela, e inventou que eu, a minha namorada dessa epoca e mais uns amigos, supostamente demos porrada nela, fazendo assim com que fossemos chamados pelo Diretor da escola pra resolver tudo, mas no final a Farls acabou por ficar mal vista pelas mentiras e nunca mais a vi, porque supostamente mudou de cidade (é confuso, eu sei).
[Voltando ao presente] Um amigo meu (vamos chama-lo de Homofóbico) recentemente começou a namorar, mas tanto eu como o nosso grupinho de amigos não gostou muito da noticia, porque SEMPRE que o Homofóbico começa a namorar, ele deixa TOTALMENTE de sair connosco, fala mal connosco, chegando até a ofender se nós apenas chegarmos perto dele e disser-mos "Bom dia" (não estou a exagerar!), e em um certo dia, depois de beber uns copos num bar com o meu grupinho de amigos (beijo pra eles, pois sempre estiveram la pra mim), ADIVINHEM QUEM ESTAVA LÁ?? A FARLS! Ela do nada voltou pra cidade onde eu moro, após 6 ANOS desde o que aconteceu no [Backstory], e tal como esperado, ela viu-me e tentou puxar assunto comigo, perguntando se sou gay (estava a namorar um boy quando isso aconteceu, sim, estava, já não tou mais), eu respondi que era Bi e pra ela me deixar em paz, pois ainda não esqueci do que ela me fez anos atrás, tendo ela feito o que pedi.
Quando eu estava já a sair do bar pra ir pra casa, a Farls chama-me bem alto, porque queria que eu a acompanha-se até casa, e eu, já com uns copos e AINDA ASSIM não querendo ser rude, eu aceitei. Assim que chegamos, ela ficou a puxar assuntos como "aah como vai a tua vida??" "ja faz tempo que não mos vemos", etc etc, e pra não ser rude, fiquei a falar com ela, pra meter papo em dia, e até que foi bom por um tempinho, porque poucos minutos depois, ela começa a comentar que eu estou mais alto que antes (tenho 1.79) e que provavelmente meu binguliroliro também está maior, comentando mais coisas sobre o meu binguliroliro, pondo-me assim numa situação MUITO desconfortavel.
" aaahm...obrigado??" respondi eu, seguindo da seguinte pergunta- "olha...tou sozinha em casa, queres entrar pra me fazer companhia e conversar mais?" olhando-me com os olhinhos de Gato. E eu, MESMO ESTANDO SOBRE EFEITO DO ALCÓOL, neguei, não só porque não queria nada com ela, mas também porque estava a namorar, e eu ja sabia onde é que isto iria chegar. Passado mais um tempinho de conversa, eu digo que tenho mesmo que ir pra casa e que já está tarde, e ELA FINALMENTE me deixou ir embora...mas assim que ela ja estava a entrar na sua casa, ela diz esta peróla " manda-me mensagem se queres NUDES". E eu, já de saco cheio, ignorei e fui embora.
No dia seguinte, depois das aulas, eu vou ao instagram, e fico pasmo e em choque quando descubro que o Homofóbico e a Farls estavam a namorar, lembrando-me da noite anterior, já a pensar que deveria contar o que aconteceu, pois mesmo o Homofóbico sendo um parvo, ele é meu amigo; Conversei com o resto do grupinho sobre o que aconteceu, e eles tiveram a mesma reação que eu, MAS disseram pra não contar nada ao Homofóbico, pois sabendo como ele é, ele vai armar briga por pensar que estamos mentindo, mas mesmo que eu concorda-se com os que eles disseram (pois ja aconteceu algo parecido no passado, e não foi muito agradavel), eu mesmo assim queria contar ao Homofóbico.
Mais tarde, vendo mais fotos no instagram, vejo um SPAM ENORME de fotos do tipo "AIIN MEU MOMOLADA, TE AMO MUITOO MEU AMORZINHO AIIN" (o que por sinal, é cringe de se ver) eu comento um "fds..." na brincadeira, pois é algo que fazemos uns aos outros no grupinho quando querem dizer indiretamente que a foto é "cringe" (em portugal, "foda-se" é o mesmo que "pqp cara...face palm), e MINUTOS DEPOIS, o Homofóbico vem armar briga connosco, especialmente comigo, porcausa do comentário que coloquei, e dps de muitos insultos, ele solta o melhor argumento alga vez criado- " estás é com inveja". No qual eu revido- "Se soubesses o que eu sei, não dirias que é inveja". ONDE ELE TAMBÉM REVIDE, mas de uma maneira linda, EM ALTO E BOM SOM (devo avisar que estavamos em frente do portão da nossa escola, onde quase toda a gente se reune depois das aulas pra conversar) - " pelomenos não sou eu que namora alguem do mesmo sexo que eu".
Depois disso eu fui embora, embasbacado com o que ele disse, ouvindo de fundo os meus amigos do grupinho a xingar ele.
Depois desse dia eu nunca mais olhei pra cara dele, e decidi que não contaria nada da possivel tentativa de traição da namorado do Homofóbico.
(Eu fiquei extremamente chateado com ele, pois eu ainda não tinha assumido, porque aqui onde eu moro, a homofobia é muita, e por conta disso, eu terminei com o rapaz com quem eu estava, por já não estar a sentir-me confortavel, ficando apenas como um Hetero Curioso).
E então...sou o babaca??
Beijos de portugal e desculpem a história ser longa.
submitted by DisabledZone to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.15 04:52 altovaliriano Shae (Parte 3)

Uma prostituta aprende a ver o homem, não seu traje, caso contrário acaba morta numa viela.
(ACOK, Tyrion X)
Martin começa a trajetória de Tyrion em A Tormenta de Espadas já estabelecendo o destino de Shae. Tywin e Tyrion estão discutindo sobre a sucessão de Rochedo Casterly quando entram no assunto sobre Alayaya, Tysha e Shae. Curiosamente a pergunta parte do próprio Tywin:
E aquela seguidora de acampamentos no Ramo Verde?
Que importa? – perguntou, sem querer nem mesmo proferir o nome de Shae em sua presença.
Não importa. Não mais do que me importa que elas vivam ou morram.
(ASOS, Tyrion I)
Como sabemos pelo último capítulo, Tywin se importa, sim. Shae aparece no julgamento testemunhando contra Tyrion e falando de estar com ele desde Ramo Verde, um detalhe que dificilmente escaparia a Tywin. Além disso, nesta primeira conversa, o pai de Tyrion completa com uma sentença interessante:
E não tenha ilusões: esta foi a última vez que tolerei que trouxesse vergonha à Casa Lannister. Acabaram-se as putas. A próxima que encontrar em sua cama, vou enforcar.
(ASOS, Tyrion I)
E interessante que Tywin tenha ameado enforcar Shae se a encontra-se na cama de Tyrion, pois, como o verbete sobre Shae na Wiki Gelo e Fogo sinaliza, Tyrion fez exatamente isso com Shae quando a encontra na cama do pai em seu último capítulo do livro.
A primeira vez que vimos Shae foi em um encontro no quarto de Varys, à pedido (e insistência) de Tyrion. O anão havia determinado que usaria este encontro para dar um fim na relação com Shae, em decorrência das ameaças do pai, especialmente depois que Tywin citou explicitamente a “seguidora de acampamentos no Ramo Verde” logo no capítulo anterior.
O encontro parece ser um encontro típico entre os dois, exceto que há nas duas partes desejos ocultos. Tyrion quer tirar Shae da corte e Shae deseja exatamente o contrário. Quando Tyrion aborda o assunto de maneira direta, a garota troca imediatamente de assunto, procurando massagear o ego do anão:
Shae – disse –, querida, esta tem de ser a última vez que ficamos juntos. O perigo é grande demais. Se o senhor meu pai encontrá-la...
Gosto da sua cicatriz. – A moça percorreu-a com um dedo. – Faz com que pareça muito feroz e forte. [...] O senhor nunca será feio aos meus olhos. – Ela beijou a escara que cobria os restos destroçados do seu nariz.
(ASOS, Tyrion II)
Shae insiste em não dar ouvidos a Tyrion durante toda a conversa, se limitando a tentar manipulá-lo a deixar ficar na capital. Toda aquela compaixão pelo novo ferimento adquirido de Tyrion não contém qualquer coerência, porque a garota continua tão inescrupulosa e insensível quanto era em A Fúria dos Reis. Sua maior preocupação ainda são bens materiais e sua falta de empatia por Lollys Stokeworth ainda é gritante:
[…] O senhor vai me devolver agora as joias e as sedas? Perguntei a Varys se ele podia me dá-las quando você foi ferido na batalha, mas ele não quis. Que teria acontecido com elas se tivesse morrido? [...]
Posso ir ao banquete de casamento do rei? A Lollys não quer ir. Disse-lhe que ninguém deverá estuprá-la na sala do trono do rei, mas ela é tão burra.
(ASOS, Tyrion II)
Entretanto, nem tudo é repetição nessas frases arrogantes de Shae. No meio de tudo, há uma pequeno trecho de diálogo de importância futura. Quando Tyrion tenta fazer com que a prostituta compreenda o perigo que Tywin oferece à vida dela, a garota apenas responde “Ele não me assusta”.
Esta simples sentença revela que GRRM estava sutilmente costurando elementos nesta primeira conversa que seriam trazidos de volta novamente na última cena de Tyrion e Shae juntos. Quando a garota o vê nos aposentos do pai, ela se assusta e começa a disparar justificativas. Entre estas justificativas, ela justamente se contradiz dizendo “Por favor. Seu pai assusta-me tanto” (ASOS, Tyrion XI).
Naquele primeiro diálogo, Shae sabia que Tyrion havia perdido seu cargo e, com isso, até mesmo sua permanência como aia de Lollys dependia inteiramente de ela manter seu disfarce. Àquela altura, o anão não tinha mais poderes de lhe arranjar uma nova colocação para ela, e por essa razão a garota sabia que tinha que tentar extrair de Tyrion o máximo que conseguisse.
Com isto em mente, fica claro que GRRM faz da cobrança de promessas antigas uma metáfora visual para Shae tentando segurar Tyrion via dominação sexual. Segundo o próprio Tyrion (ASOS, Tyrion VII), seu pênis era o orgão responsável por fazê-lo agir tolamente frente a manipulação da garota. E é justamente por aí que Shae o está segurando na cena, literalmente:
Não quero sair. O senhor me prometeu que eu voltaria a me mudar para uma mansão depois da batalha. – A boceta dela deu-lhe um pequeno apertão, e ele começou a enrijecer de novo, dentro dela. – Um Lannister sempre paga as suas dívidas, você disse.
(ASOS, Tyrion II)
Ao perceber que não vai conseguir nada por esta via, Shae passa a falar sobre o casamento de Joffrey e elabora um plano para que Tyrion a leve consigo, em troca de favores sexuais durante a festa. Aqui a garota não está mais se valendo da dominância, mas tentando persuadir o anão. Por isso, Shae passa a afagar o órgão sexual ao invés de prendê-lo:
– […] Eu encontraria um lugar em algum canto escuro abaixo do sal, mas sempre que se levantasse para ir à latrina, eu poderia escapulir e ir encontrá-lo. – Envolveu a pica dele nas mãos e afagou-a com suavidade. – Não levaria roupas de baixo sob o vestido, para que o senhor nem precisasse me desatar. – Os dedos dela brincaram com ele, para cima e para baixo. – Ou, se quisesse, podia fazer-lhe isto. – Enfiou-o na boca.
(ASOS, Tyrion II)
Quando Tyrion mostra que está veementemente decidido a que ela não deixá-la ir, Shae se retrai para a cortesia fria. Tyrion está pensando em como concederia facilmente o desejo de Shae, caso o pai não tivesse ameaçado enforcá-la, contrariando o que ele disse em A Fúria dos Reis, sobre o amor por Shae envergonhá-lo:
Se a escolha fosse sua, ela poderia sentar-se a seu lado no banquete de casamento de Joffrey, e dançaria com todos os ursos que quisesse.
(ASOS, Tyrion II)
Eu atribuo essa mudança de postura (de amor proibido envergonhado para amor proibido cauteloso) ao momento de Tyrion, em que ele perdeu todo o prestígio e está tentando se agarrar na única coisa de seu momento glorioso que ainda tem: Shae.
Em verdade, o comportamento de Shae espelha o de Tyrion. Ambos estão tentando arranjar um jeito de manter seu status. O anão também está tentando voltar ao poder pelas vantagens terrenas que ele oferece e não mais para “fazer justiça”. Naquele momento, Tyrion estava sendo a Shae de Tywin, pois está a todo custo tentando reivindicar direitos e reconhecimentos de seu pai.
O surpreendente é que após toda a teimosia de Tyrion, Shae finalmente cede a seu instinto de autopreservação e dá a Tyrion um parágrafo inteiro de resignação e obediência, ao fim do qual Shae apela para o cavalheirismo de Tyrion e lhe arranca uma promessa:
[...] Gostaria de ser a sua senhora, mas não posso. Se fosse, você iria me levar ao banquete. Não importa. Gosto de ser rameira para o senhor, Tyrion. Basta que me mantenha, meu leão, e que me mantenha a salvo.
Manterei – prometeu ele. Tolo, tolo, gritou a sua voz interior. Por que disse isso? Veio aqui para mandá-la embora! Em vez disso, voltou a beijá-la.
(ASOS, Tyrion II)
A prostituta parece entender que o novo momento de Tyrion exige dela uma abordagem diferente. Em suas palavras, de um homem poderoso que poderia desafiar o mundo por ela, ele agora era um cavaleiro que a protegia e resgatava do perigo:
Pensava que o senhor tinha se esquecido de mim. – O vestido dela encontrava-se pendurado em um dente negro quase tão alto quanto ela, e a moça estava em pé dentro das mandíbulas do dragão, nua. […] – O senhor vai me arrancar de dentro das mandíbulas do dragão, eu sei. [...]
Meu gigante – ela ofegou quando a penetrou. – Meu gigante veio me salvar.
(ASOS, Tyrion VII)
Shae veste tão bem a fantasia de donzela que chega a declarar seu amor a Tyrion e Tyrion responde em pensamento. Porém, por alguma ironia do destino, a prostituta estava querendo lhe fazer pensar que ele era um cavaleiro, enquanto o próprio Tyrion queria lhe casar com um cavaleiro de verdade para se ver livre dela:
E eu também a amo, querida. Podia ser uma prostituta, mas merecia mais do que o que ele tinha para dar. Vou casá-la com Sor Tallad. Ele parece ser um homem decente. E alto…
(ASOS, Tyrion VII)
É curioso como este é o único efeito colateral do novo estratagema de Shae. Tyrion fica tão embrigado pela ideia de ser o cavaleiro salvador da garota, que ele tem um momento de desencanto quando a prostituta sequer teme perdê-lo ao saber de seu casamento com Sansa Stark:
[…] Não me importa. Ela é só uma garotinha. Vai deixá-la comuma barrigona e voltar para mim.
Uma parte dele tinha esperado menos indiferença. Tinha esperado, escarneceu amargamente, mas agora sabe como é, anão. Shae é todo o amor que provavelmente terá.
(ASOS, Tyrion IV)
Eu penso que a indiferença de Shae se fundava em ela saber que somente corria perigo se Tyrion arranjasse outra prostituta como amante. Ela estava ciente do quão sexualmente indesejável ele era para a maioria da população de westeros e como ele era complexado com sua aparência e traumatizado com relações amorosas. Portanto, um casamento arranjado com uma jovem nobre donzela realmente não lhe representava perigo algum. Ela até mesmo tenta pedir na frente de Tyrion que Sansa a leve ao casamento de Joffrey, demonstrando que seu objetivo de participar da boa é sua real prioridade.
Porém, não há que se dizer que Shae é uma pessoa desprovidade de sonhos e fantasias. O fato é que esta fantasias não são românticas, mas delírios com mudanças de status social, luxos e riquezas. Quando Sansa a chama para ver uma nuvem no céu que parece um castelo:
É feito de ouro. – Shae tinha cabelos escuros e curtos e olhos ousados. Fazia tudo o que lhe era pedido, mas às vezes dirigia a Sansa os mais insolentes dos olhares. – Um castelo todo feito de ouro, aí está uma coisa que eu gostaria de ver.
(ASOS, Sansa IV)
Ou quando conversava com Sansa sobre Ellaria Sand e a garota apresenta sua versão dos fatos em que Ellaria seria uma espécie de Shae que “deu certo” em razão do relacionamento com Oberyn:
Era quase uma prostituta quando ele a encontrou, senhora – confidenciara a aia – e agora é quase uma princesa.
(ASOS, Sansa IV)
E são suas fantasias por status e luxo que a levam a testemunhar contra Tyrion a pedido de Cersei. O depoimento de Shae acontece logo antes de o anão pedir o julgamento por combate. Dessa forma, tudo o que a garota diz se torna juridicamente irrelevante de uma hora para outra. Essa manobra de Tyrion acaba por fazer com que Cersei se livrasse da obrigação de cumprir sua parte do acordo:
Shae, o nome dela era Shae. A última vez que tinham conversado fora na noite anterior ao julgamento por combate do anão, depois de aquele dornês sorridente ter se oferecido como seu campeão. Shae inquirira acerca de umas joias que Tyrion lhe oferecera, e de certas promessas que Cersei poderia ter feito, uma mansão na cidade e um cavaleiro que a desposasse. A rainha deixara claro que a prostituta não obteria nada até que lhes dissesse para onde fora Sansa Stark.
(AFF, Cersei I)
Interessante notar que o acordo feito por Shae consiste apenas no que Tyrion já tinha em mente em lhe dar.
O depoimento de Shae é uma peça que me chama bastante a atenção. A garota não só conta como Tyrion supostamente teria lhe tomado como amante à força e confidenciado os planos de matar Joffrey durante sua última noite juntos. Shae revela ali, perante Tywin, que era seguidora de acampamento do Ramo Verde:
Nunca quis ser uma prostituta, senhores. Estava noiva. Ele era um escudeiro, um rapaz bom e corajoso, de bom nascimento. Mas o Duende viu-me no Ramo Verde e pôs o rapaz com que meu queria casar na primeira fila da vanguarda, e depois de ele ser morto ordenou aos selvagens que me levassem à sua tenda. Shagga, o grande, e Timett, como olho queimado. Ele disse que se não lhe desse prazer, me entregava a eles, e portanto eu dei. Depois trouxe-me pra cidade, pra ficar por perto quando ele me quisesse. Obrigou-me a fazer coisas tão vergonhosas […]. Ele usou-me de todas as maneiras que há e… costumava me obrigar a dizer como ele era grande. O meu gigante, eu tinha de lhe chamar, o meu gigante de Lannister.
(ASOS, Tyrion X)
Como esta parte do depoimento era completamente desnecessária, eu fico me perguntando se ela foi bolada pela própria Shae, Varys ou Cersei. Sabemos que a garota é capaz de mentir, mas não vimos coisas com este tipo de elaboração. Como Varys é quem estava administrando o disfarce de Shae, fornecendo -lhe até histórias falsas sobre seu passado para que contasse à Tanda Stokeworth, acredito que tenha sido ele quem a orientou a assim depor.
Porém, qualquer seria o objetivo disto? Apenas para ele próprio se safar da acusação de que estava trazendo informações erradas a Cersei, algo que já lhe preocupava (ASOS, Tyrion VII)? Ou Varys queria que o depoimento de Shae chamasse a atenção de Tywin?
De fato, em uma entrevista em 16 de junho de 2014 à Entertainment Weekly, afirmou que a questão entre Varys, Shae, Tyrion e Tywin é algo que ele fará revelações nos próximos livros:
EW: Certo, e há também a questão da surpresa da hipocrisia de Tywin quando ele [Tyrion] a encontra na cama dele. Tywin sabia que ela era uma prostituta [na versão do livro isso não fica claro]? Ou ele simplesmente não ligava?
GRRM: Ah, eu acho que Tywin sabia sobre Shae. Ele provavelmente adivinhou que ela era a seguidora de acampamento que ela havia expressamente dito “você não levará aquela puta para corte”, mas que Tyrion o havia desafiado e levado "aquela puta" à corte. Quanto ao que exatamente ocorreu aqui, é algo sobre o qual não quero falar, porque há aspectos disso que eu não revelei e que serão revelados nos próximos livros. Mas o papel de Varys em tudo isso é algo para se levar em consideração.
Esta entrevista deu fundamentos para que os leitores passassem a acreditar que Varys teria influenciado Tyrion a matar Tywin. Mas, para fins desta análise, nos cabe apenas ver a situação da ótica do que aconteceu com Shae, quem até mesmo pela teoria acima seria um alvo secundário.
Assumindo que Varys tenha orientado Shae a dar este depoimento para chamar a atenção de Tywin, como é que isso a colocaria na Torre da Mão na noite anterior à execução de Tyrion? Sabemos que Cersei mandou Shae embora ás lágrimas na noite entre o depoimento de Shae e o julgamento por combate entre Gregor e Oberyn, então somente depois desta noite é que Shae provavelmente estaria suporte. Caso ela já estivesse sendo sondada por Tywin, dificilmente sairia chorando...
Eu alimento uma teoria que o ponto que fez Tywin se interessar pela garota foi a bajulação que ela confessou fazer a Tyrion. “Meu gigante de Lannister” parece ser o tipo de frase que agradaria um homem como Tywin debaixo dos lençóis. A partir daí, bastaria que Varys fizesse uma sugestão aqui, outra acolá e de repente Tywin já estava pedindo a alguém que enfiasse a menina em seus aposentos na noite seguinte.

Declarações de GRRM sobre Shae

submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.06.15 03:20 KingYa810 Trabalho

Olá Reddit, isso é mais uma carta que vou deixar aqui.
Amanhã eu volto a trabalhar com 6 horas de serviço, mas, o que mais me deixa apreensivo é ficar 1 hora no transporte público até chegar nele, meu coração está apertado, angustiado, tenho medo de ficar numa cama respirando por máquina e deixar minha vida aqui, deixar a família que tanto amo, meus sonhos simplesmente desaparecerem, minha vida acabar.
É isto, boa noite
submitted by KingYa810 to desabafos [link] [comments]


2020.06.09 04:40 Astarter_ Fui babaca ao descobrir o meu primeiro chifre?

Olá luba e pessoas que estão a ver.
Bem, a minha história ocorreu ano passado quando eu comecei a namorar um menino (vou chama-lo de P). Então, antes da gente começar a namorar eu já gostava de outra pessoa (vou chama-lo de N), mas como eu não tinha coragem de falar com ele o meu fogo no c* me levou até o P, que era bonitinho até. P tinha chegado em mim antes e tava puxando conversa eu fui na dele e não escutei meu melhor amigo (que na época era muito ciumento, mas mesmo assim me arrependo de não ter ouvido ele). Depois de não muito tempo, eu estava apaixonadinha por P, e ele me pediu em namoro e eu trouxa aceitei (ele ficava me dando muito mole, mds pq eu fui aceitar?). Nós estávamos namorando, tava tudo certo e bonitinho. Acho que por muita carência eu queria ficar toda hora perto dele. E há mais uma coisa, quando eu comecei a namorar com P, eu falei com N e acabou que nós ficamos amigos pois ele era uma pessoa muito gente boa e eu achava o sotaque nordestino dele muito fofinho. Mas infelizmente eu parei de falar com ele por causa de P, pois P me contou que não gostava de N e eu não sabia o pq a maioria da sala odiava N (Todos eram da mesma sala). Mas depois de um tempo, P começou a ficar estranho comigo, ficava me afastando e tudo mais. Teve um dia que eu tentei falar com ele, pq eu sabia que ele tinha problemas com o pai dele (que batia nele sem motivo e tals) e eu estava realmente muito preocupa. Mas ele me empurrou e foi pra longe de mim, sentando em um banco, uma amiga dele (Vou chama-la de G) foi e se sentou com ele e o abraçou. Eu fiquei muito triste e comecei a chorar(não só por esse motivo, pois tbm estava com problemas em casa), mas ai o N chegou e começou a me consolar, achei muito fofo da parte dele e me senti um pouco melhor. Alguns dias depois, eu e P já não estávamos nos falando mais como antes, resolvi ir falar com ele pra esclarecer a coisas, pois eu estava com um sentimento ruim. Ele terminou comigo sem mais e nem menos, e eu só falei: Ok (Mas no momento eu estava pensando: pau no seu c* então). Uns dia depois um amigo meu falou que viu P e G se pegando (Na época que a gente ainda tava namorando) e eu fiquei muito puta da vida. A minha vontade era de voar no pescoço de P (pq eu não curto esse lance de traição), mas como eu não sou uma pessoa agressiva eu não fiz isso. Eu bloqueie P em todas as redes sociais. O único problema e que eu via aquele otário todos os dias na escola. Depois eu descobri que P e G estavam namorando e pensei "bem, eles se merecem". Um dia G veio falar com meus amigos e eu a olhava friamente. Do nada ela soltou pra mim "Vc não gosta mesmo de mim, não é?" meus amigos me olharam e eu respondi "não gosto, algum problema com isso?" e me afastei pois não aguentava mais olhar para cara dela, pois ela sabia que eu e P estávamos namorando naquela época e mesmo assim ela decidiu pegar ele. Eu sofri bastante, mas estou bem melhor sem ele. Eu passei o resto do ano ignorando eles friamente pq eles não mereciam nem um pingo da minha atenção. E outra coisa, eu encontrei G chorando por causa de P do mesmo jeito que eu chorei da outra vez, (ou seja, já sabe neh) e rir( me desculpa mas eu ri da desgraça alheia).
Enfim, é isto, me desculpe pelo texto grande. Te amo Luba <3
submitted by Astarter_ to TurmaFeira [link] [comments]


O que é o canal que eu mais assisto eu amo ️ - YouTube HINO ANTIGO CCB - NO PAÍS QUE MAIS EU AMO ❤ Me conheces, sabes tudo o que eu preciso - YouTube CATEDRAL- EU AMO MAIS VOCÊ- ACÚSTICO - LEGENDADO - YouTube O mínimo que eu mais amo No país que eu mais amo Hino hinário 01 CCB O Foda É Que eu Amo - YouTube

Eu sei lá o que é isto que sinto, mas ao - Mundo das Mensagens

  1. O que é o canal que eu mais assisto eu amo ️ - YouTube
  2. HINO ANTIGO CCB - NO PAÍS QUE MAIS EU AMO ❤
  3. Me conheces, sabes tudo o que eu preciso - YouTube
  4. CATEDRAL- EU AMO MAIS VOCÊ- ACÚSTICO - LEGENDADO - YouTube
  5. O mínimo que eu mais amo
  6. No país que eu mais amo Hino hinário 01 CCB
  7. O Foda É Que eu Amo - YouTube
  8. VOCÊ É TUDO QUE EU MAIS AMO NA VIDA

Provided to YouTube by Som Livre O Foda É Que eu Amo · Raí Saia Rodada Era Eu ℗ 2019 Som Livre Released on: 2019-11-14 Auto-generated by YouTube. vocÊ É tudo que eu mais amo na vida esse vÍdeo É um recadinho do coraÇÃo para alguÉm que vocÊ ama muito e sÃo com as suas atitudes de amor que vocÊ todos os dias demonstra o quanto essa ... Hino CCB hinario 1 1-No País que mais eu amo seremos todos iguais Gozando a promessa eterna e as riquezas celestiais. *Coro* : No País que mais eu amo vou gozar santas bençãos de Deus Na sua ... Deixe seu lack. Shallow Cover - Lady Gaga & Bradley Cooper (Daddy Daughter Duet) Mat and Savanna Shaw - Duration: 3:35. Mat and Savanna Shaw 1,140,783 views Eu Amo Mais Você Catedral Depois dessa ventania o temporal Fez da nossa vida Um mundo desigual Qual é a tua? O teu segredo? Me diz Como eu vou decifrar? E a ... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Lindo Louvor! Me conheces, sabes tudo o que eu preciso Antes mesmo de falar,, Me amas, Teu amor é bem maior Do que eu possa imaginar,,,, Emoticon heart hino ccb - no paÍs que mais eu amo - com mais de 100 anos. se inscreva no canal, ative o sino de notificaÇÃo, deixe o seu like em cada vÍdeo e o seu comentÁrio É muito importante